Não existe contraposição entre fé e evolucionismo, diz Igreja

Presidente do Pontifício Conselho para a Cultura também disse que Darwin nunca foi condenado pelo Vaticano

Efe

16 de setembro de 2008 | 15h14

O presidente do Pontifício Conselho para a Cultura, Gianfranco Ravasi, afirmou nesta terça-feira, 16, que não existe contraposição entre a fé e a teoria da evolução de Charles Darwin e disse que o naturalista britânico nunca foi condenado pela Igreja Católica.   Veja também:  Igreja Anglicana deve desculpas a Darwin, diz clérigo  Cientista britânico propõe ensino do criacionismo em escolas   Ravasi afirmou isto durante a apresentação no Vaticano do Congresso internacional que será realizada em Roma entre 3 e 7 de março de 2009 sob o título "Evolução biológica: fatos e teorias. Uma avaliação crítica 150 anos após 'A origem das espécies'".   O "ministro" de Cultura do Vaticano também afirmou que a Igreja Católica não tem que pedir perdão para o autor da teoria da evolução, Charles Darwin, "pois nunca o condenou".   "Darwin nunca foi condenado e seu livro 'A origem das espécies' nunca foi proibido", declarou Ravasi ao ser perguntado se o Vaticano, como fez a Igreja Anglicana, pediria desculpas ao cientista e naturalista britânico.   O prelado acrescentou sobre o Evolucionismo que é necessário um "ato de humildade" dos teólogos e "a superação da arrogância" de alguns cientistas.

Tudo o que sabemos sobre:
religiãociênciadarwin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.