Nasa adia lançamento de Discovery ao menos por uma semana

A partida do primeiro ônibus espacial do ano deveria acontecer no dia 12 de fevereiro em direção à ISS

Irene Klotz, Reuters

04 de fevereiro de 2009 | 08h38

A Nasa adiou o primeiro lançamento de um ônibus espacial do ano por pelo menos uma semana para que os engenheiros revisem um potencial problema com válvulas que mantêm o tanque de combustível pressurizado, informaram gerentes da agência espacial na terça-feira, 3.      Veja também:  Nasa prepara Discovery para lançamento em fevereiro O lançamento do ônibus espacial Discovery com sete astronautas a bordo deveria acontecer no dia 12 de fevereiro e sua missão é levar o último conjunto de painéis solares para a Estação Espacial Internacional (ISS). A missão foi adiada pelo menos até o dia 19 de fevereiro devido a um problema nas válvulas que mantém o hidrogênio líquido apropriadamente pressurizado para os três principais motores do ônibus. "Para os motores principais funcionarem corretamente, o tanque de hidrogênio tem de ser apropriadamente pressurizado", disse o gerente do programa de ônibus espaciais, John Shannon. Durante o último voo do ônibus espacial em novembro, um pequeno pedaço de uma das válvulas quebrou. Isso não representa ameaça à nave, mas a Nasa quer mais tempo para saber o que pode acontecer caso um pedaço maior da válvula quebre. "Queremos garantir que vamos fazer isso direito", disse Shannon. "Isso tem consequências importantes para nós".  Para a ISS A próxima nave Progress a ser lançada transportará à Estação Espacial Internacional (ISS) não só as porções habituais de comida para a tripulação, mas também maçãs, laranjas e mais de 50 porções de requeijão, revelou o Instituto de Problemas Biomédicos russo. "Os cosmonautas pediram mais maçãs e requeijão, por isso enviaremos à estação 5,5 quilos de maçãs frescas e 52 porções de requeijão com nozes, groselha e purê", disse Aleksandr Agureyev, responsável do departamento de alimentação deste instituto da Academia de Ciências da Rússia. Além disso, os cosmonautas poderão fazer frente à falta de vitaminas durante sua estadia de seis meses na plataforma orbital com mais de um quilo de cebolas, 2,5 de alho e três de laranja, acrescentou, segundo a agência oficial "Itar-Tass". O único russo da tripulação, Yuri Lonchakov, receberá também doces e frutas secas da família, que poderá dividir com seus colegas da Nasa (agência espacial americana), Michael Fincke e Sandra Magnus. O lançamento do Progress M-66 está previsto para o próximo dia 10.

Tudo o que sabemos sobre:
CIENCIANASAADIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.