Nasa adia lançamento para domingo em meio à tempestade

A Nasa cancelou neste sábado a tentativa de lançamento da espaçonave Endeavour, que integrará uma missão de construção na Estação Espacial Internacional, para avaliar possíveis danos de relâmpagos na região, disseram autoridades.

IRENE KLOTZ, REUTERS

11 de julho de 2009 | 15h54

O lançamento foi reposicionado para 19h13 de domingo (21h13 em Brasília). A espaçonave está levando um pórtico para o laboratório japonês Kibo, que será usado para expôr os experimentos ao ambiente espaciais.

A Nasa notou 11 relâmpagos a menos de 700 metros da plataforma de lançamento.

"Precisamos estar 100 por cento confiantes de que temos um bom sistema do começo ao fim", disse Mike Moses, administrador do programa no Centro Espacial Kennedy, na Flórida.

A espaçonave é protegida contra relâmpagos diretos por meio de para-raios e fios que desviam as correntes para o solo. A preocupação é relacionada a campos eletromagnéticos que pudessem levar as correntes aos sistemas elétricos.

"Não vemos nada até agora que indique que algo foi realmente afetado pelos relâmpagos, e espero que isso se confirme, mas grande parte do equipamento tem de ser checada e é isso que toma tempo", disse Moses.

O atraso é o terceiro para a Endeavour, que deve passar 16 dias em órbita.

A Nasa tentou fazer o lançamento duas vezes no mês passado, mas foi impedida por vazamentos de combustível de hidrogênio potencialmente perigosos.

Os engenheiros descobriram um desalinhamento em uma peça que descarrega hidrogênio do tanque de combustível conforme ele é enchido. Os técnicos fizeram os reparos e testaram o trabalho na semana passada.

A Nasa está ficando sem tempo para completar a estação antes de aposentar a frota de espaçonaves até 30 de setembro de 2010, conforme decidido pelo Congresso dos EUA. Os administradores dizem que não comprometerão a segurança para cumprir as datas e pedirão a extensão e mais recursos se necessário para completar o projeto de 100 bilhões de dólares, conduzido por 16 países.

Incluindo a missão da Endeavour, a agência planeja mais oito voos para a estação.

Depois de as espaçonaves se aposentarem, astronautas dos EUA voarão em cápsulas da russa Soyuz e a carga será levada por veículos russos, europeus e japoneses.

A estação está sob construção a 360 quilômetros acima da Terra há mais de uma década. Ela consiste em quase 735 metros cúbicos de espaço pressurizado, tamanho aproximado de uma típica casa de quatro quartos.

A espaçonave Endeavour carrega as últimas partes do laboratório japonês Kibo, composto de três partes, incluindo o pórtico para expôr os experimentos ao ambiente espacial.

A plataforma será ligada à frente do complexo da Kibo, orçado em 2,4 bilhões de dólares, durante a primeira das cinco caminhadas espaciais planejadas ao longo da permanência de 12 dias da Endeavour na estação.

Um dos astronautas da Endeavour, Timothy Kopra, continuará na estação, assumindo o cargo do engenheiro de voo japonês Koichi Wakata, que está em órbita desde março.

Tudo o que sabemos sobre:
NASAFOGUETE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.