Nasa adia missão de manutenção do telescópio Hubble

Um defeito no Telescópio Espacial Hubble obrigou a Nasa a adiar até 2009 a missão de reparos que deveria começar em 14 de outubro, disse a agência espacial norte-americana na segunda-feira. Os técnicos precisarão de um prazo pelo menos até fevereiro para testar e lançar um computador que resolverá o problema recém-surgido. "Ficaremos pressionados a terminar antes", disse o gerente do Hubble, Preston Burch, em teleconferência com jornalistas. Por causa dessa mudança, a próxima missão tripulada da Nasa, em que o ônibus Endeavour levará equipamentos que permitirão ampliar a Estação Espacial Internacional de três para seis tripulantes, deve ser antecipada de 16 para 14 de novembro, segundo John Shannon, gerente do programa de ônibus espaciais. O Hubble tem desde sábado à noite um defeito no computador que recolhe e formata os dados do telescópio para seu envio à Terra, atividade que foi suspensa. Burch disse que os engenheiros pretendem acionar o sistema reserva no telescópio e testar um sobressalente em terra, para ver se ainda está apto a um vôo espacial. O Hubble deve voltar a funcionar dentro de aproximadamente uma semana. A Nasa preparava-se para lançar em cerca de duas semanas o ônibus Atlantis para realizar a quinta e última missão de manutenção do Hubble, que foi lançado em 1990 e orbita a cerca de 480 quilômetros de altura. O telescópio revolucionou a compreensão científica sobre a formação, conteúdo e evolução do planeta. E também assumiu um lugar na cultura popular, ao fornecer imagens de estrelas, planetas e galáxias que foram estampadas em livros, programas de TV, jornais, revistas e sites do mundo inteiro. Os tripulantes da Atlantis foram treinados para, em 11 dias de missão, fazerem cinco desafiadoras saídas ao espaço. A Nasa agora espera que eles encontrem tempo para instalar o novo computador em uma dessas saídas. "Se tivesse de acontecer, não poderia acontecer em melhor hora", disse Ed Weiler, administrador-associado da Nasa para Ciência. Ele lembrou que o Hubble já enfrentou percalços até piores. Logo depois do lançamento, engenheiros descobriram um defeito no foco do espelho primário, o que tornava o telescópio "míope". A Nasa corrigiu o defeito, e nesses anos já realizou quatro bem-sucedidas missões de atualização e reparos do equipamento.

IRENE KLOTZ, REUTERS

29 de setembro de 2008 | 21h56

Tudo o que sabemos sobre:
CIENCIAHUBBLENASA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.