Nasa anuncia descoberta de planeta e estrelas jovens

Um dos telescópios espaciais da Nasa descobriu o que os cientistas acreditam ser o mais jovem planeta já visto - um corpo celeste com 1 milhão de anos (a Terra, em comparação, tem mais de 4 bilhões). Em sua primeira grande série de descobertas, o Telescópio Espacial Spitzer também mostrou que as proto-estrelas, ou estrelas em formação, "são tão comuns quanto as cigarras nas árvores da Costa Leste (dos EUA)" e que as regiões de formação de planetas ao redor das estrelas jovens têm quantidades consideráveis de gelo - que poderão produzir oceanos.?Oh, meu Deus, isso fez a gente pular?, disse o astrônomo Ed Churchwell, sobre as três descobertas. O Spitzer é um telescópio de infra-vermelho que orbita o Sol desde o ano passado. Ele não chegou a realmente ?ver? o planeta-bebê, mas forneceu dados que permitem deduzir sua existência.O objeto localiza-se na constelação de Touro, a 420 naos-luz. Acredita-se que esteja na borda interna do disco de poeira que orbita uma estrela de 1 milhão de anos. A presença do planeta foi inferida a partir de uma lacuna no disco. Outras explicações para a lacuna são possíveis, mas o planeta é ?altamente provável?, segundo a astrônoma Deborah Padgett.Dan Watson, outro astrônomo envolvido na pesquisa, disse que o Spitzer mostrou pela primeira vez, de maneira conclusiva, a presença de água e moléculas orgânicas em discos de formação de planetas ao redor de estrelas muito jovens, com apenas centenas de milhares de anos. Esta, segundo ele, pode ser a matéria-prima que dará origem a um sistema solar como o nosso.

Agencia Estado,

27 de maio de 2004 | 20h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.