Nasa descobre explosão cósmica mais distante da Terra

A explosão, chamada GRB 080913, veio de uma estrela a 12,8 bilhões de anos-luz de nosso planeta

da Redação,

22 de setembro de 2008 | 16h43

O satélite Swift da Nasa encontrou a explosão de raios gama mais distante da Terra já detectada. A explosão, chamada GRB 080913, veio de uma estrela a 12,8 bilhões de anos-luz.  "Essa é a explosão mais impressionante que o Swift já viu", disse o líder da missão, Neil Gehrels. "Ela vem em nossa direção de perto do final do universo visível." Como a luz se move a uma velocidade finita, olhar para longe no universo significa olhar para o passado. A GRB 080913 revela que a explosão ocorreu menos de 825 milhões de anos depois da formação do universo.  A estrela que causou esse "disparo visto através do cosmos" morreu quando o universo tinha menos de um sétimo de sua idade atual. "Essa explosão acompanha a morte de uma estrela de uma das primeiras gerações do universo", disse Patricia Schady, do Mullard Space Science Laboratory. Explosões de raios gama são as explosões mais luminosas do universo. Elas normalmente ocorrem quando grandes estrelas ficam sem combustível nuclear. Quando seus núcleos encolhem para dar origem a buracos negros ou estrelas nêutrons, jatos de gás são expelidos para o espaço. Lá, eles atingem gás produzido anteriormente pela estrela, que é aquecido, gerando um forte brilho.  O satélite Swift, lançado em novembro de 2004, teve um longo ano. Em março, detectou a explosão de raios gama mais brilhante já detectada (que foi visível a olho nu mesmo tendo ocorrido a milhões de anos-luz). E em janeiro, seus instrumentos captaram os primeiros raios-X de uma nova supernova dias antes de sua formação poder ser vista.

Tudo o que sabemos sobre:
Nasaciênciaespaço

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.