Nasa diz que Soyuz é segura apesar de pouso acidentado

A agência espacial dos EstadosUnidos disse na terça-feira acreditar que as cápsulas russasSoyuz continuam seguras para o uso, embora os investigadoresainda apurem as causas de um acidentado pouso no fim de semana. A cápsula que transportava um norte-americano, um russo eum sul-coreano pousou a quase 500 quilômetros do alvo, que eraperto de Arkalyk (Cazaquistão), despistando as equipes deresgate. A agência russa de notícias Interfax citou uma fonteoficial não-identificada segundo a qual houve risco aosastronautas durante o pouso, já que eles foram submetidos a umaforça cerca de dez vezes superior à da gravidade habitual -- ouseja, quase o triplo do normal nessa operação. "Não vejo isso como um grande problema, mas claramente nãodeveria ter ocorrido", disse o chefe de vôos espaciais da Nasa,Bill Gerstenmaier. A norte-americana Peggy Whitson, que foi comandante daEstação Espacial Internacional, e o cosmonauta YuriMalenchenko, voltavam de uma missão de seis meses no espaço. Junto com eles viajava o primeiro astronauta da história daCoréia do Sul, que havia embarcado uma semana antes em outranave Soyuz, junto com os novos tripulantes da estação. Ao pousar, Malechenko usou um telefone por satélite parainformar aos controladores russos que os tripulantes estavam asalvo. As equipes de resgate passaram cerca de 45 minutosprocurando a nave. A outra Soyuz continua atracada na Estação, pronta, segundoGerstenmaier, para trazer a tripulação de volta à Terra em casode emergência. "Não há implicação imediata para o veículo Soyuzem órbita", disse ele a jornalistas por teleconferência. Os próximos tripulantes da Estação só devem viajar emoutubro, o que dá bastante tempo para que se avalie o que houvede errado no pouso de sábado e sejam feitos eventuaisconsertos, inclusive na nave que está em órbita, segundoGerstenmaier.

IRENE KLOTZ, REUTERS

22 de abril de 2008 | 23h00

Tudo o que sabemos sobre:
ESPACOSOYUZPOUSO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.