Nasa encontra danos no revestimento do ônibus espacial

Engenheiros ainda não sabem se problema vai requerer uma operação de reparos no espaço

Associated Press,

11 Fevereiro 2010 | 14h58

A Nasa está avaliando um ladrilho rachado na blindagem térmica e um anel de cerâmica solto no ônibus espacial Endeavour, dois problemas que não parecem graves, mas que vão exigir atenção redobrada.

 

Astronautas verificam ônibus espacial em busca de danos

 

"Inicialmente, não parece que vamos nos preocupar muito com isso", disse o líder do gerenciamento da missão, LeRoy Cain. "Mas queremos manter a vigilância e dar uma olhada mais de perto".

 

Enquanto os engenheiros na Terra corriam para entender os problemas e determinar se reparos serão necessários, os 11 astronautas a bordo do complexo formado pela junção do Endeavour com a Estação Espacial Internacional  (ISS) passaram um primeiro dia de missão conjunta em relativa tranquilidade.

 

O Endeavour sobre a Nova Zelândia, fotografado por um astronauta a bordo da ISS. AP/Nasa

 

Eles conseguiram resolver um defeito num traje espacial a tempo para a caminhada espacial prevista para esta quinta-feira, 11, e consertaram peças do sistema de extrai água potável da urina dos astronautas.

 

O traje espacial do astronauta Robert Behnken estava imprestável, por conta de um arnês defeituoso que o impedia de ativar os aquecedores das luvas e de usar a câmera do capacete. Ele então pegou emprestada a parte de cima de um traje que já estava a bordo da ISS.

 

O trabalho mais importante - a instalação de um novo aposento e de um mirante na ISS - será executado durante a caminhada espacial desta noite, a primeira de três.

 

Quanto ao sistema de reciclagem de água, o processador de urina vinha se comportando mal há meses. O Endeavour levou ao espaço peças de reposição, bem como um filtro para pegar todos os depósitos de cálcio da urina. O conserto tem uma prioridade tão alta que já estava em andamento an quarta-feira, poucas horas após a chegada do ônibus espacial.

 

Astronautas podem sofrer de perda de massa óssea no espaço, e é possível que o excesso de cálcio na urina esteja entupindo a máquina, mas especialistas acreditam que o sistema em si é o culpado.

No ônibus espacial, o ladrilho rachado fica bem em cima do cockpit, e já havia sido reparado antes, num conserto que, ao que tudo indica, não funcionou.

 

Além disso, há um anel separador de cerâmica que está se projetando para fora de seu espaço, perto das janelas do cockpit. Engenheiros tentam determinar se, caso ele venha a se soltar de vez durante a reentrada, poderia bater no leme ou em um dos foguetes de manobra.

 

Cain disse que ainda é cedo para dizer se astronautas terão de ser destacados para realizar reparos em órbita. A Nasa preferiria não ter astronautas trabalhando muito perto do cockpit, onde um erro poderia causar problemas Amis graves que os que estariam sendo reparados.

 

A Nasa vem sendo especialmente cautelosa com danos à parte externa dos ônibus espaciais desde que o Columbia foi destruído por causa de uma rachadura na asa, em 2003.

Mais conteúdo sobre:
endeavour ônibus espacial iss nasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.