Nasa garante ônibus espacial, mas põe ISS em dúvida

O diretor da Nasa, Michael Griffin, disse ao Congresso dos Estados Unidos que acredita que o ônibus espacial Discovery será lançado em julho, na primeira missão de um desses veículos desde o desastre da Colúmbia, em 2003. Numa audiência da Comissão de Ciências da Câmara de Representantes, Griffin, que assumiu o cargo em abril, advertiu que os Estados Unidos não poderão cumprir as 28 missões previstas para concluir a Estação Espacial Internacional (ISS), caso os ônibus espaciais sejam aposentados até 2010.Os legisladores, tanto republicanos como democratas, perguntaram a Griffin os planos a curto prazo e os programas a longo prazo da agência espacial americana. "Passaram-se mais de dois anos desde que o presidente George W. Bush anunciou seus planos para a exploração espacial, e a Nasa quase não pode dar uma resposta definitiva a uma só pergunta sobre seus programas", disse o presidente da Comissão, o republicano Sherwood Boehlert."A agência está repensando suas atividades e precisa de tempo", acrescentou, para depois dizer que, de modo geral, a Nasa está "voando às cegas". O plano de Bush prevê a volta de astronautas à Lua por volta de 2020 e a implementação de um programa para o envio de uma missão tripulada a Marte nas décadas seguintes. Entretanto, também estipula que os Estados Unidos retirarão de serviço os ônibus espaciais até 2010.Os ônibus cumpriram missões cruciais na construção, no reabastecimento e na substituição de tripulações da ISS, um projeto de US$ 100 bilhões, do qual participam 16 países.Griffin admitiu que há "uma falta de definição" nos planos da Nasa atualmente. "Uma coisa é certa: não podemos realizar os 28 vôos para completar a construção da estação orbital, uma vez que marcamos de retirar as naves por volta de 2010", afirmou.A Nasa não selecionou ainda um projeto viável para a construção de um veículo reutilizável que substitua os ônibus espaciais, de modo que pode haver uma defasagem de quatro anos entre a retirada das naves atuais e o primeiro uso de seu substituto. Griffin prometeu aos legisladores que a Nasa completará, antes de setembro, os estudos técnicos e a seleção preliminar de um projeto para a construção dos veículos reutilizáveis que substituirão as naves."O que estudamos agora é um programa redefinido de missões de naves que possa ser executado com um alto grau de confiança nos próximos cinco anos", disse Griffin.

Agencia Estado,

28 de junho de 2005 | 19h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.