Nasa pede a modificação da lei que ameaça uso da Soyuz

Os astronautas americanos não poderão continuar viajando à Estação Espacial Internacional (ISS) a bordo dos lançadores Soyuz se os Estados Unidos não modificarem uma lei que proíbe o país de financiar os programas espaciais russos, advertiu a Nasa.Essa lei, adotada para impedir que Moscou coopere com o Irã no campo nuclear, pode perturbar o programa da presença contínua de americanos na estação espacial internacional, lamentou o chefe da agência espacial americana, Michael Griffin, depois de se reunir com seu colega russo Anatoli Perminov."Se o pedido da Nasa não for aceito em Washington depois de abril de 2006, não estaremos em condições de enviar tripulantes americanos a bordo da Soyuz", explicou Griffin. A Rússia pede aos americanos que paguem pela "carona" dos astronautas nas naves Soyuz, que vêm sendo usadas para levar tripulantes à ISS desde o desastre do ônibus espacial Columbia.Os ônibus espaciais americanos não podem voar por causa de problemas técnicos. A Nasa se nega a anunciar uma data para o próximo vôo de um ônibus espacial que, no melhor dos casos, não acontecerá antes de março de 2006. "Devemos negociar um acordo financeiro aceitável com a parte russa", defendeu o chefe da Nasa, Griffin.

Agencia Estado,

30 de setembro de 2005 | 16h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.