Reuters
Reuters

Nasa prevê chuva de meteoros nesta madrugada

O fenômeno, conhecido como Liríadas, ocorre sempre em abril e será visível de todo o Brasil a partir de 0h de quinta-feira

Fábio de Castro, O Estado de S. Paulo

22 Abril 2015 | 19h51

A chuva de meteoros periódica conhecida como Liríadas será visível a olho nu, de acordo com a Nasa, entre a noite desta quarta-feira, 22 e o início da madrugada de quinta-feira, 23. O fenômeno poderá ser observado em várias partes do mundo, incluindo o Brasil. 

Segundo a Nasa, em todo o Hemisfério Sul, as Liríadas poderão ser vistas de forma intensa depois da meia-noite. No Hemisfério Norte, a chuva de meteoros será visível a partir das 22h30. Para observar o fenômeno, é preciso estar em um local onde o céu não esteja encoberto, longe das luzes artificiais das cidades. A previsão é que a atmosfera da Terra seja atingida por 15 a 20 meteoros por hora. 


As Liríadas são destroços do cometa C/1861 G1 Thatcher, que têm sido observadas por mais de 2600 anos. Anualmente, em meados de abril, a Terra passa pelo fluxo de destroços do cometa, o que causa a chuva de meteoros. De acordo com a Nasa, para identificar se um meteoro pertence a uma chuva específica, é preciso rastrear o caminho por ele percorrido e observar se ele teve origem próxima a um determinado ponto do espaço, chamado de radiante. A constelação na qual o radiante está localizado dá o nome à chuva de meteoros. No caso das Liríadas, os meteoros irradiam a partir de um ponto na constelação de Lira.

De acordo com o Observatório Nacional, os meteoros são pequenos corpos celestes que se deslocam no espaço e entram na atmosfera da Terra, queimando parcial ou totalmente por causa atrito e do contato com o oxigênio. 

O fenômeno deixa um risco luminoso no céu, que é popularmente chamado de "estrela cadente". Uma chuva de meteoros ocorre quando a Terra cruza a órbita de algum cometa, fazendo com que pequenos fragmentos deixados ao longo de sua órbita penetrem a atmosfera, em trajetórias quase paralelas. Nas Liríadas, também conhecidas como "estrelas de abril", o fluxo de entrada na atmosfera terrestre é de 10 a 20 meteoros por hora, mas a quantidade pode chegar até a 100. As chuvas de meteoros acontecem em praticamente todos os meses, mas algumas delas, como as Liríadas, têm mais intensidade e ampla visibilidade.

Mais conteúdo sobre:
chuva de meteoros Nasa ciência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.