Nasa tenta recuperar robô Spirit atolado no solo de Marte

Diretor da agência espacial afirma que 'probabilidade de fracasso da missão de resgate é alta'

Efe,

17 Novembro 2009 | 10h40

Técnicos da Nasa simulam em laboratório o procedimento de resgate do robô Spirit, atolado em Marte 

 

WASHINGTON - A Nasa (a agência espacial americana) retomou nesta terça-feira, 17, as tentativas para recuperar o robô "Spirit" que a agência espacial americana enviou ao planeta vermelho em 2004 e ficou atolado na areia desde abril passado. Nos últimos meses, os responsáveis pela missão têm tentado buscar uma solução para retirar o robô do local onde ficou preso, conhecido como "Tróia".

 

Veja também:

linkMissão de ônibus espacial vai estender vida da estação espacial 

 

Os cientistas fizeram experimentos na Terra com uma réplica do robô à qual submeteram as condições similares no Laboratório de Propulsão a Jato (JPL, ma sigla em inglês) da agência espacial, mas reconheceram que não será fácil. "Será um processo longo e a probabilidade de fracasso é alta" disse o diretor do programa de prospecção de Marte da agência espacial, Doug McCuistion.

 

As rodas do "Spirit" estão afundadas na terra desde 23 de abril e ficaram presas em uma camada de areia. Além disso, o "Spirit" tem as rodas dianteiras da parte direita bloqueadas desde 2006 devido a uma falha elétrica.

 

Na semana passada, a Nasa anunciou que dará ordem a partir da Terra para que o robô vá girando as rodas até conseguir recuperar o movimento de marcha à ré. Uma tarefa que poderá levar semanas. "A mobilidade em Marte é difícil e qualquer que seja o resultado da operação de resgate do "Spirit" aumentará nosso conhecimento sobre como analisar o terreno e melhorar os robôs que serão enviados a Marte no futuro", acrescentou McCuistion.

 

O "Spirit" foi colocado em Marte em janeiro de 2004 junto com outro robô gêmeo, o "Opportunity", que foi deslocado para uma região oposta do planeta vermelho. Inicialmente, os pesquisadores deram três meses de vida ativa. Apesar de terem sofrido com o desgaste dos materiais e registrado problemas de funcionamento, ambos os veículos continuaram percorrendo Marte e transmitindo milhares de fotografias e informações sobre sua geologia e atmosfera.

 

Além de ter confirmado que em algum momento de sua história Marte abrigou água em forma líquida, os veículos exploradores de seis rodas já percorreram mais de 20 quilômetros da superfície do planeta.

 

Enquanto a Nasa redobra os esforços para salvar o "Spirit", o "Opportunity" segue em direção a uma grande cratera chamada "Endeavor".

Mais conteúdo sobre:
Nasa Spirit Marte

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.