Nasce bebê de embrião submetido a 'congelamento rápido'

Rebecca, que tem endometriose, foi a primeira mulher do Reino Unido a dar a luz graças à nova técnica

Efe

12 de agosto de 2008 | 15h07

Uma jovem inglesa se tornou a primeira do Reino Unido a dar a luz a um bebê concebido através da técnica de vitrificação, que transfere ao útero embriões congelados por um processo quase instantâneo.   Evie nasceu no dia 23 de julho depois que seus pais, Ian e Rebecca Bloomer, se submeteram a um processo de reprodução assistida no hospital universitário de Cardiff, informou a BBC.   A técnica de vitrificação, que foi recentemente introduzida em vários países, consiste em implantar no útero embriões que anteriormente foram congelados rapidamente, em vez de pelo processo usual de congelamento gradual. Segundo os médicos responsáveis pela intervenção, o congelamento rápido evita a formação de cristais que poderiam danificar o embrião ao ser descongelado.   A jovem estava há anos tentando ter um bebê e, após vários processos de fertilização, o hospital sugeriu que congelassem os embriões restantes.   Rebecca, diagnosticada com endometriose, engravidou imediatamente após serem implantados os embriões congelados.   O hospital de Cardiff foi o primeiro do Reino Unido a oferecer a técnica de vitrificação, em agosto de 2007, diz a BBC.   O chefe do departamento de embriologia, Lyndon Miles, disse que, das 39 mulheres que procuraram o tratamento, 17 engravidaram, das quais quatro esperam gêmeos.   Miles assinalou que esse processo também é útil para as mulheres diagnosticadas com câncer que queiram preservar vários óvulos antes da quimioterapia.   Segundo Miles, o índice de sobrevivência dos embriões com essa técnica é de 98%, contra cerca de 80%, no processo normal.

Tudo o que sabemos sobre:
ciência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.