Nave a vela inaugura novo tipo de missão espacial

A missão Cosmos-1, também conhecida como vela espacial, tem lançamento previsto para esta terça-feira. Trata-se de uma nave espacial solar que, segundo cientistas, pode vir a ser uma forma "elegante e barata" de explorar o espaço.A nave é financiada pela iniciativa privada, mas a Nasa já demonstrou interesse nos dados coletados pela missão. A Sociedade Planetária da Califórnia é a responsável pelo projeto, que custou US$ 4 milhões (R$ 9,5 milhões).A nave é lançada ao espaço de dentro de um submarino nuclear russo, localizado no Mar de Bárents. Como a vela é leve, ela precisa ser lançada em um foguete tipo Volna - criado durante a Guerra Fria para transportar material nuclear, em um eventual ataque russo contra os Estados Unidos.Círculo de velasDepois de lançada, a estrutura que pesa cerca de 100 quilos atingirá uma órbita de 800 km de altura, tirando fotos da Terra durante quatro dias antes de desenrolar as oito velas de alumínio em seu interior, formando um círculo."É o começo do passeio espacial. A vela orbitará a Terra uma vez a cada 101 minutos durante semanas", dizem os cientistas envolvidos no projeto.A aceleração proporcionada pela energia do Sol é pequena, mas constante. Isso faz com que a vela ganhe mais força com o tempo.Na volta à Terra, as velas são desfeitas, entrando em uma cápsula cilíndrica que se desliga da estrutura principal.Sem combustívelPara os cientistas envolvidos no projeto, as vantagens da vela espacial são que ela não requer qualquer combustível e, à medida em que ganha aceleração, pode navegar mais rápido do que as naves convencionais.Um problema seria quando a vela chegasse em Júpiter, planeta a partir do qual a energia do Sol torna-se muito escassa.Especialistas da Nasa e das agências espaciais da Europa, da Rússia e do Japão vão olhar atentamente o lançamento da vela espacial porque já anunciaram o desejo de desenvolver projetos semelhantes.O lançamento está previsto para as 16h46 (Brasília).

Agencia Estado,

21 de junho de 2005 | 11h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.