EFE/EPA/ROSCOSMOS
EFE/EPA/ROSCOSMOS

Nave com robô humanoide russo atraca na Estação Espacial Internacional

No último sábado, 24, a missão fez sua primeira tentativa, fracassada, de atracar na ISS; Fedor mede 1,80 metro e pesa 160 kg

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2019 | 02h52

MOSCOU - A nave Soyuz com o robô humanoide Fedor a bordo atracou com sucesso, nesta terça-feira, 27, na Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), após uma primeira tentativa fracassada, no fim de semana.

"Contato confirmado, captura confirmada", disse o narrador da Nasa TV, em referência à operação de acoplamento na nave russa. No último sábado, 24, a nave fez sua primeira tentativa de atracar na ISS.

Fedor, que leva o número de identificação Skybot F850, partiu no dia 22 de agosto do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.

O robô, com corpo antropomórfico prateado, mede 1,80 metro e pesa 160 quilos. Fedor é um nome russo (Feodor) e também uma sigla em inglês: "Final Experimental Demonstration Object Research".

Fedor tem contas nas redes sociais Instagram e Twitter, nas quais divulga informações sobre sua vida diária e suas proezas, como aprender a abrir uma garrafa de água. 

A bordo da ISS, o robô vai participar em diferentes atividades, sob a supervisão do cosmonauta russo Alexander Skvortsov, que chegou à Estação Espacial Internacional no mês passado.

Fedor deve testar suas capacidades em condições de gravidade muito reduzida. Uma de suas principais habilidades é imitar os movimentos humanos e, desta maneira, poderá ajudar os astronautas a cumprir suas tarefas.

As operações o obrigarão a manejar uma chave de fenda e outras chaves, afirmou Alexander Bloshenko, diretor de programas da agência espacial russa, Roscosmos, em uma entrevista ao jornal Rossiyskaya Gazeta.

Histórico

Em 2011, a Nasa enviou ao espaço um robô humanoide chamado Robonaut 2, desenvolvido em parceria com a General Motors, com o mesmo objetivo de testar suas atividades em um ambiente de risco elevado. O robô retornou à Terra em 2018 por problemas técnicos.

Em 2013, o Japão enviou ao espaço o pequeno robô, Kirobo, coincidindo com a chegada do primeiro comandante japonês da ISS, Koichi Wakata. Kirobo era capaz de falar, mas apenas em japonês. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.