Naves Voyager completam 25 anos de bons serviços

Um quarto de século depois de iniciarem missões programadas para quatro anos, as duas sondas espaciais Voyager continuam a enviar informações úteis à Terra, diretamente dos limites extremos do Sistema Solar. As duas naves, lançadas pela Nasa em 20 de agosto e cinco de setembro de 1977, continuam a penetrar em regiões inexploradas do espaço. ?Elas começam a sentir a idade, mas não há razão para que não durem mais 20 anos?, diz Tom Hogle, engenheiro de sistemas e controle da missão Voyager.Voyager 1, o objeto artificial mais distante da Terra, está a 12,5 bilhões de quilômetros da Terra, e a Voyager 2, lançada primeiro, encontra-se a 10 bilhões de quilômetros. Inicialmente, a Nasa havia proposto que as Voyagers visitassem apenas Júpiter e Saturno, encerrando suas missões em 1981. Em vez disso, as missões se estenderam e a Voyager 2 foi até Netuno e Urano. Entre 1979 e 1989 as duas sondas estudaram quatro planetas e 48 luas, analisando mais corpos do Sistema Solar do que qualquer outra espaçonave. ?Esses dez anos provavelmente representaram a maior missão de descobrimentos da história da humanidade?, disse Charles Kohlhase, que foi diretor de projeto da missão.Ao passar por Júpiter em 1980, a Voyager 1 tomou impulso ?para cima?, para fora da eclíptica - o plano em que giram os nove planetas do Sistema Solar. Nove anos depois, a Voyager 2 passou por Netuno e tomou impulso ?para baixo? em relação à eclíptica.Até hoje, as sondas seguem se afastando do Sol e dos nove planetas. A Voyager 1 leva 23 horas para se comunicar com a Terra, entre enviar um sinal de rádio e receber resposta. A Voyager 2, 18 horas e meia. Embora já tenham ultrapassado Plutão, o último planeta do Sistema Solar, as naves só terão deixado para trás o último corpo ligado ao Sol dentro de 40.000 anos. Este será o tempo necessário para que as sondas cruzem a Nuvem de Oort, uma esfera de núcleos de cometas mantida coesa pela gravidade - tênue, a tal distância - do Sol.Mas muito antes disso, em 2003 ou 2004, a Voyager 1 chegará às portas da heliopausa, o início do espaço interestelar. Antes da heliopausa, preponderam no espaço partículas originadas do Sol. A partir dali, predominam as partículas vindas de outras estrelas. A Voyager 2 chegará à heliopausa dentro de 7 a 21 anos.Cada uma transporta um disco de cobre de 30 centímetros, revestido de ouro, que contém sons e imagens escolhidos para representar a diversidade da vida e das culturas da Terra. Também há mensagens por escrito do então presidente americano Jimmy Carter e do secretário-geral da ONU da época, Kurt Waldheim.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.