<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1659995760901982&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Navio derrama petróleo em praia de São Sebastião

Um derramamento de petróleo foi registrado na manhã de hoje no canal de São Sebastião, no Litoral Norte. O vazamento ocorreu por volta das 11 horas, quando o navio Nordic Marita, fretado pela Transpetro, fazia o descarregamento do produto no píer sul do Terminal Marítimo Almirante Barroso (Tebar), da Petrobras. Ao detectarem o vazamento, a operação do transporte do petróleo foi completamente paralisada e foi acionado o Plano de Contigência da Transpetro e Petrobras. Um grupo formado por 150 pessoas em 60 embarcações iniciou a operação de contingência.Segundo o gerente do Tebar, Luiz Alberto de Faria Franco, o acidente ambiental ocorreu devido a uma falha na conexão de um dos braços de carregamento do navio. "As causas deste problema ainda não temos. Serão estudadas por um grupo de técnicos." O acidente foi informado à Agência Nacional de Petróleo (ANP), à Capitania dos Portos e à Defesa Civil, que também devem colaborar para detectar as causas do derramemento.Até às 18 horas a empresa não sabia informar a quantidade do produto derramada no mar. "Sabemos apenas que é uma parcela bastante pequena perto do que o navio carregava". O navio estava carregado de 110 mil toneladas de petróleo, tipo Martin, trazidos da Bacia de Campos, Rio de Janeiro. Até o início da noite, as embarcações continuavam no mar para evitar que a mancha de óleo se espalhasse para outras praias. A dispersão da mancha para outras localidades depende também da influência da maré e dos ventos, segundo a assessoria de imprensa do Tebar.Além dos funcionários do Tebar, outros 250 agentes ambientais foram convocados pela Defesa Civil para fazer o monitoramento das praias. Segundo o chefe da Defesa Civil do município, Émerson Alonso, a praia mais próxima é a Porto Grande. "A dispersão da mancha também vai depender da maré", afirmou Alonso. Ele não soube precisar os prejuízos ao meio-ambiente.A previsão é de que a mancha será totalmente removida no período de dois a três dias. Segundo informações extra-oficiais, o vazamento teria sido de 60 mil litros de petróleo. A assessoria de imprensa do Tebar não confirmou a quantidade.

Agencia Estado,

03 de junho de 2003 | 19h32

Selecione uma opção abaixo para continuar lendo a notícia:
Já é assinante Estadão? Entrar
ou
Não é assinante?
Escolha o melhor plano para você:
Sem compromisso, cancele quando quiser
Digital Básica
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 9,90/mês a partir do segundo mês
  • Portal Estadão.
  • Aplicativo sem propaganda.
Digital Completa
R$
1, 90
/ mês
No primeiro mês
R$ 19,90/mês a partir do segundo mês
Benefícios Digital Básica +
  • Acervo Estadão 146 anos de história.
  • Réplica digital do jornal impresso.
Impresso + Digital
R$
22, 90
/ mês
No primeiro ano
R$ 56,90/mês a partir do segundo ano
Benefícios Digital Completa +
  • Jornal impresso aos finais de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.