Navios embarcam na ecologia

É possível, sim, reduzir eventuais danos ao meio ambiente durante a sua viagem

Evelyn Araripe, Especial Para o Estado,

30 Agosto 2010 | 10h19

A preocupação ambiental chegou de vez aos navios. De atitudes simples - como evitar o uso de plásticos - a investimentos em tecnologia, as embarcações estão mais ecológicas. E algumas dispõem de funcionários treinados para explicar as ações.

Nos navios da Costa Cruzeiros, por exemplo, esqueça sachês para temperar comida ou aqueles pequenos frascos de sabonete líquido e xampu. Eles foram substituídos por embalagens reutilizáveis. Pratos, copos e talheres agora são feitos de material biodegradável. E a maior parte da água usada a bordo é produzida no navio, pelo processo de dessalinização.

A MSC investiu também em capacitar os funcionários. Eles entendem de temas como coleta seletiva e economia de água e de luz. Tal esforço rende frutos. Em 2009, foram recicladas 48 toneladas de alumínio e 75 toneladas de óleo de cozinha.

Economizar energia, aliás, está virando regra nos navios. Muitos já contam com sistema inteligente para regular o ar-condicionado de acordo com o número de pessoas e a temperatura externa.

Outro sistema ambientalmente correto permite que a embarcação receba energia elétrica da costa, quando estiver atracada. Assim, os geradores dos navios - que costumam gastar muito mais - podem ficar desligados nos portos.

A preocupação ambiental vai além do que os olhos dos passageiros alcançam. Os navios da Costa e da MSC, por exemplo, utilizam uma tinta especial, que impede o acúmulo de algas no casco. Isso ajuda a reduzir o consumo de combustível e, consequentemente, faz cair as emissões de gás carbônico (CO2), um dos responsáveis pelo efeito estufa.

Além dos benefícios ambientais, as técnicas trouxeram economia às empresas. A Costa, por exemplo, já reduziu em 5% o consumo de combustível por milha navegada depois de iniciar essas ações. Sem contar a economia de água e de energia elétrica.

 

 

 

ATITUDES VERDES

Lixo: use os compartimentos específicos. Nada de jogar no mar

Energia: economize sempre. Ao sair da cabine, certifique-se de que não esqueceu nada ligado

Água: ela parece estar por todos os lados, mas é finita. Não desperdice

Comida: sim, é uma tentação. Mas nada de exagerar e depois jogar no lixo

Paradas: tire apenas fotos. Nada de pegar conchas ou flores. Dê preferência aos produtos e serviços locais, valorizando a economia da região

Mais conteúdo sobre:
ecologiacruzeirosestadão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.