Plos One
Plos One

Neandertais podem ter inventado a joalheria

Nova descoberta sugere que hominídeos precursores dos humanos modernos eram muito mais avançados do que se acreditava

The Washington Post, O Estado de S. Paulo

12 Março 2015 | 18h09

Uma nova descoberta sugere que os neandertais eram muito mais avançados do que se acreditava. Segundo pesquisa publicada na quarta-feira, 11, na revista Plos One, estes hominídeos - precursores dos humanos modernos que se extinguiram quase completamente, exceto por alguns cruzamentos com nossos próprios ancestrais - podem ter criado a joalheria sem a ajuda ou influência dos humanos modernos que levam o crédito pela arte. Aliás, eles podem ter tido a habilidade e sofisticação necessárias para capturar muitas águias - os predadores aéreos mais agressivos da época - e transformar suas garras em colares.

A evidência vem de uma coleção de museu. Na virada do século 20, Dragutin Gorjanovic-Kramberger escavou um sítio cheio de restos humanos e animais que hoje fica na Croácia. O sítio guardava quase um milhar de ossos humanos, junto com pelo menos um milhar de ferramentas, todos de 120 mil a 130 mil anos atrás.


Gorjanovic-Kramberger usou técnicas muito modernas para registrar onde encontrou cada espécime, mas o pesquisador deixou passar algo que hoje parece óbvio.

"Ele encontrou estas garras de águia e as enviou a um especialista em pássaros em Budapeste", disse David Frayer, da Universidade de Kansas, um dos autores do novo estudo. "Ironicamente, porém, apesar de ele ter sido a primeira pessoa a identificar marcas de corte em ossos humanos, não percebeu estes sinais realmente óbvios de marcas de cortes e manipulação nas garras das águias."

O mesmo se deu com o especialista de Budapeste. E com os curadores do museu que depois armazenaram os espécimes.

Um ano e meio atrás, disse Frayer, uma colega sua assumiu a curadoria do Museu de História Natural Croata e deu uma segunda olhada nas garras. Ela o contatou quando suspeitou que elas tinham sido manipuladas pelos neandertais com os quais foram encontradas.

"Quando eu as vi, meu queixo caiu", disse ele. "As garras eram tão completas e tao belas, e as marcas de corte tão óbvias."

Isto é importante, ele disse, por causa de sua idade: 120 mil ou 130 mil anos atrás, havia somente neandertais na Croácia. Não havia humanos modernos por lá.

"As pessoas com frequência argumentam que os neandertais estavam imitando humanos modernos em vez de criar eles próprios objetos ornamentais", disse Frayer. "Neste caso, não há dúvida: havia somente neandertais ali, e somente ferramentas neandertais."

Com base no desgaste das garras, Frayer e seus colegas acreditam que elas foram interligadas e usadas em torno do pescoço, onde suor e outros fluidos corporais causaram o polimento visto em colares de conchas feitos da mesma maneira.

E como as águias seriam raras - e ferozes - naquele ambiente, Frayer acredita que a descoberta sugere que os neandertais eram caçadores habilidosos.

"Há garras de três ou quatro águas diferentes aqui, e isso representa muito planejamento e destreza", ele disse. "Elas são aves grandes e muito ferozes quando capturadas."

Ele também pensa que o uso de garras como ornamentação - se era este de fato seu uso - denota níveis significativos de pensamento abstrato.

"Quando alguém captura o mais poderoso predador aéreo em seu meio ambiente e o usa em seu pescoço, isso sugere algum tipo de tentativa de obter seu poder", ele disse.

Tradução de Celso Paciornik


Mais conteúdo sobre:
Neandertaispre-história

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.