GABRIELA BILO / ESTADAO
GABRIELA BILO / ESTADAO

No aniversário de 50 anos do lançamento da Apollo 11, eclipse lunar encanta milhares

Fenômeno foi visível no Brasil desde o início da noite desta terça. Próximo eclipse lunar total está previsto para 26 de maio de 2021

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de julho de 2019 | 20h34

SÃO PAULO - O eclipse lunar na noite desta terça-feira, 16, encantou milhares no Brasil e em países da África, Europa, Oceania e em partes da Ásia. O fenômeno ocorreu na data em que se comemora 50 anos do início da primeira viagem que levou o homem à Lua. Em 16 de julho de 1969, o foguete da missão Apollo 11 era lançado em um acontecimento que mudou para sempre a corrida espacial. 

Em Brasília, com o céu limpo, foi possível observar o fenômeno nas primeiras horas da noite. Um eclipse lunar ocorre quando o Sol, a Terra e a Lua estão alinhados e a Lua penetra no cone de sombra produzido pela Terra. O eclipse lunar pode ser total (quando a Lua é inteiramente encoberta) ou parcial, como ocorreu nesta terça. 

A previsão era que 60% da superfície visível da Lua ficasse coberta pela sombra. Com o fenômeno, o satélite natural da Terra assumiu tons alaranjados. O eclipse pôde ser visto a partir das 17h no Brasil e seguiu  até 19h59. 

Quando será o próximo eclipse

Em 21 de janeiro deste ano, boa parte do planeta pôde contemplar um eclipse total da Lua. Foi a última vez que o fenômeno ocorreu. O próximo eclipse lunar ocorrerá em 10 de janeiro de 2020, mas será apenas penumbral, ou seja, a Lua penetrará a penumbra (a parte mais externa do cone de sombra formada pela Terra), tornando o fenômeno quase imperceptível. 

Segundo a agência espacial americana (Nasa), o próximo eclipse total da Lua será visível das Américas em 26 de maio de 2021.

Tudo o que sabemos sobre:
Luaeclipse

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.