No espaço, o primeiro foguete particular do mundo

Um protótipo de foguetesuperou hoje o limite da atmosfera terrestre no primeiro vôo de uma espaçonave totalmente financiada pelainiciativa privada, para em seguida pousar suavemente na Terracomo um planador. O piloto da SpaceShipOne, Mike Melvill, pretendia subir a 100quilômetros de altitude, mas superou a marca. Segundo dados deradares, a espaçonave atingiu 100,095 quilômetros de altitude. A nave tocou o solo do Aeroporto de Mojave às 8h15 locais(12h15 em Brasília) em meio a aplausos e brindes. O poucoocorreu cerca de 90 minutos depois de a SpaceShipOne ter subidoao espaço no ventre do foguete White Knight, de propulsão ajato. Por alguns minutos, quando a SpaceShipOne começava sua descida não ficou claro se Melvill havia atingido o objetivo. Mas umporta-voz da missão garantiu, a seguir, que ela havia sido umsucesso. "Bela visão, Mike", disse o controlador de vôo a Melvill assimque a espaçonave planou lentamente, em círculos, para aaterrissagem. O White Knight levantou vôo às 6h45 locais carregando ofoguete. Após uma hora de subida, atingiu os 46.000 pés (13.800metros) e a SpaceShipOne foi liberada. Segundos depois, Melvillacionou o computador para armar o foguete. Após a rápida igniçãoe uma subida, o motor desligou-se e a nave começou a descer doalto de sua trajetória. Tanto o jato quanto a espaçonave foram construídos peloinovador projetista Burt Tatan e o projeto foi financiado peloco-fundador da Microsoft, Paul Allen que, sobre o preço, sóadmite que excedeu os US$ 20 milhões. "Existe claramente um desejo reprimido de voar no espaço e nãoapenas sonhar com ele", disse Rutan ontem. "Agora, eu sei o quefoi estar envolvido na estupenda corrida da América à Lua, nosanos 60." A SpaceShipOne emerge como o mais forte candidato ao PrêmioAnsari X para a primeira espaçonave de três lugares, financiadapela iniciativa privada, a atingir a altitude de 100 quilômetrose repetir o feito dentro de duas semanas. A exigência dos três lugares serve para demonstrar acapacidade de transporte de passageiros pagantes; o breve espaçode tempo entre os vôos, para comprovar reutilização econfiabilidade. A Nasa também está interessada no projeto, diz Michael Lembeck diretor da divisão de requisitos do Escritório de Exploração deExploração de Sistemas da agência espacial. "Precisamos de pessoas como Burt Rutan, com idéias inovadoras,que nos levem à Lua e a Marte", ele diz. "Pessoas como Burtmostram um modo diferente de fazer as coisas." O piloto Melvill, de 62 anos, foi selecionado para o vôo entreos três pilotos do projeto. Durante um teste de vôo, no mêspassado, ele levou o foguete a uma altitude de cerca de 64quilômetros. Melvill é um piloto de testes e vice-presidente administrativoda empresa de Rutan, a Scaled Composites, que construiu aSpaceShipOne e o White Knight. Rutan ganhou fama como projetista da Voyager, que fez um vôosem escalas a volta da terra sem reabastecer, em 1986. Eleespera que seu último projeto comprove que o vôo espacial não éapenas para governos. "Acredito que esta realização atraia investimentos e toda umagama de atividades e, muito em breve, seja economicamente viávelpara uma pessoa viajar", diz Rutan.

Agencia Estado,

21 de junho de 2004 | 17h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.