No fundo do mar, treinamento para viver no espaço

Antes de viajar para o espaço, quatro astronautas da Nasa terão de encarar nove dias de missão nos recifes de coral do sul da Flórida. Estarão vivendo a 19 metros de profundidade, dentro do Aquarius, um casulo metálico de 13 metros de comprimento por 4 de diâmetro.O módulo pressurizado funciona como simulador da Estação Espacial Internacional (ISS), preparando os astronautas para a vida fora da Terra.Os "aquanautas" terão de realizar uma série de tarefas e experimentos científicos, dentro e fora do módulo, a exemplo do que fariam na ISS. Só que, em vez de trajes espaciais, vestem roupas de neoprene. No lugar do capacete, máscara de mergulho e regulador de oxigênio na boca.Riscos verdadeirosApesar de bem menos perigoso do que o espaço, o fundo do mar a essa profundidade não é nenhum fim de semana na piscina. Tanto que o programa é chamado Operações de Missão em Ambientes Extremos da Nasa (Neemo)."O Neemo é uma missão com riscos verdadeiros em um ambiente hostil. Se vamos mandar seres humanos para a Lua e para Marte, vamos precisar de meios econômicos de botar o pé na água aqui na Terra", diz o diretor da missão, Marc Reagan, em nota divulgada pela Nasa. "Com o Neemo, temos uma analogia tão fiel que podemos testar equipamentos e procedimentos de campo antes de experimentá-los no espaço."Além de ter de conviver e trabalhar dentro de um espaço confinado, semelhante ao módulo de habitação americano na ISS, os aquanautas farão expedições de mergulho equivalentes às chamadas atividades extra-veiculares (EVAs) espaciais, operando e construindo estruturas debaixo d´água.Forma de torpedoEssa é a sexta missão da Nasa realizada no Aquarius, normalmente utilizado por biólogos marinhos como base para o estudo de corais. O laboratório fica a 5,6 quilômetros da costa de Key Largo, no Santuário Nacional Marinho de Flórida Keys.A unidade, que se parece com um vagão de trem em forma de torpedo, recebe ar e energia de uma base flutuante acima dela. A pressão dentro do casulo é mantida igual à do ambiente aquático exterior: 2,5 vezes maior do que ao nível do mar.O espaço interior, de apenas 11 metros cúbicos, é dividido em uma sala de escotilha - para entrada e saída dos mergulhadores -, laboratório "molhado" e uma área seca de convivência, com poltronas e beliches.Tempo realConstruído em 1986, o Aquarius pertence à National Oceanic and Atmospheric Administration (Noaa) e é operado pela Universidade da Carolina do Norte em Wilmington.A missão Neemo 6 termina no dia 21 e será chefiada pelo astronauta John Herrington, que terá como companheiros Doug Wheelock, Nick Patrick e Tara Ruttley.Todas as atividades do quarteto serão monitoradas em tempo real por um laboratório na Flórida e por um centro de controle do Johnson Space Center da Nasa, em Houston.

Agencia Estado,

12 de julho de 2004 | 13h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.