Nova observação reforça hipótese de água em lua de Saturno

Jatos de alta velocidade emitidos da superfície seriam sinal da presença de líquido em Encélado

AP,

26 de novembro de 2008 | 16h51

Astrônomos que estudaram os jatos supersônicos de gás e poeira emitidos por uma das luas de Saturno dizem ter encontrado fortes indícios da presença de água no estado líquido, um ingrediente essencial da vida.   A pesquisa, publicada na edição desta semana da revista Nature, vem se somar ao crescente impulso por uma maior exploração da lua Encélado, que vem se revelando um dos locais do Sistema Solar com maior potencial para abrigar vida.   Com imagens da sonda Cassini, astrônomos já haviam deduzido que os misteriosos jatos emitidos pelo terreno gelado da lua continham vapor de água. Novos cálculos agora sugerem que a alta velocidade dos jatos indica a presença de água em estado líquido.   As velocidades atingidas, de mais de 2.000 km/h, "são difíceis de conseguir sem líquido", diz a principal autora do trabalho, Candice Hansen, do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa.   Outros pesquisadores, como Andrew Ingersoll, do Instituto de Tecnologia da Califórnia, dizem que o trabalho de Candice é bom, mas que o líquido não é a única explicação para a velocidade encontrada. Logo, ainda é possível ter dúvidas quanto à presença de água.   A chefe da equipe responsável pela câmera da Cassini, Carolyn Porco, disse que "na minha cabeça, a evidência está se acumulando em favor da água em estado líquido".

Tudo o que sabemos sobre:
saturnoencéladonaturecassini

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.