Nova técnica produz célula-tronco sem danificar embrião

Uma empresa que desenvolveu umatécnica para a criação de células-tronco sem danificar embriõesanunciou na quinta-feira ter cultivado cinco lotes de células epediu apoio do governo norte-americano. A Advanced Cell Technology, de Massachusetts, trabalha comum método usado às vezes em um exame de doenças genéticasgraves em embriões. O chamado diagnóstico genéticopré-implantação consiste em retirar uma única célula doembrião, no estágio em que ele contém apenas oito células. Isso normalmente não danifica o embrião, que é congeladopara possível implantação num útero. A equipe da ACT tambémcongelou embriões e usou a célula retirada no exame como fontede células-tronco embrionárias. Robert Lanza, diretor-científico da ACT, disse que issopossibilita em tese o desenvolvimento de grandes quantidades decélulas-tronco embrionárias sem danificar embriões, como énecessário na atual técnica, que desperta a oposição de gruposcontrários ao aborto -- inclusive do presidente George W. Bush,que vetou o uso de verbas federais dos Estados Unidos empesquisas com células-tronco embrionárias. Células-tronco são uma espécie de "manual de instruções" doorganismo, encontráveis em embriões em estágio inicial ecapazes de darem origem a qualquer tipo de órgão ou tecido. Sem depender de verbas públicas, a ACT e outras empresaspodem fazer o que quiserem com os embriões. Em 2007, trêsequipes anunciaram avanços na produção de células-troncopluripotentes induzidas -- células cutâneas que pareciam epossivelmente agiam como células-tronco embrionárias. Outra equipe gerou células semelhantes usando apenas umóvulo não fecundado, processo chamado de parterogênese. Mas todos os pesquisadores consideram que as células-troncoembrionárias autênticas devem continuar a ser estudadas. "Se a Casa Branca aprovar esta nova metodologia, ospesquisadores poderiam efetivamente duplicar ou triplicar onúmero de linhas de células-tronco existentes dentro de poucosmeses. Muitas mortes desnecessárias continuam ocorrendoenquanto esta pesquisa está suspensa", disse Lanza. "Espero queo presidente aja agora e aprove estas linhagens decélulas-tronco rapidamente."

MAGGIE FOX, REUTERS

10 de janeiro de 2008 | 20h58

Tudo o que sabemos sobre:
CIENCIACELULASTRONCO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.