Nova tecnologia duplica resolução de microscópios

Cientistas mudaram a forma como lançam luz sobre estruturas celulares

Da BBC Brasil, BBC

06 de junho de 2008 | 14h24

Uma equipe de cientistas alemães e americanos desenvolveu uma nova tecnologia para aplicação em microscópios que permite duplicar a resolução de imagens de estruturas extremamente pequenas, como o núcleo das células. A tecnologia já permitiu a produção de imagens nítidas, multicoloridas e tridimensionais nunca antes vistas. Para desenvolver o novo recurso, uma equipe da Universidade Ludwig Maximilians de Munique, na Alemanha, uniu forças com estudiosos da Universidade da Califórnia, em São Francisco, nos Estados Unidos. A tecnologia - chamada de "microscopia tridimensional de iluminação estruturada" (3D-SIM) - consiste em iluminar as células com feixes múltiplos de luz. Esses feixes interferem uns com os outros, permitindo visualizar melhor a estrutura ou obter dados para reconstruir detalhes específicos que são invisíveis normalmente. Divisão do núcleo O analista científico da BBC Liam McSheffrey explicou que um dos principais problemas enfrentados por cientistas na observação de estruturas microscópicas é conseguir colocar luz suficiente sobre o objeto analisado. O novo recurso permite aos estudiosos compreender melhor a estrutura do núcleo das células, disse McSheffrey. Usando a nova tecnologia, por exemplo, os cientistas puderam registrar recentemente o processo pelo qual o núcleo de uma célula se prepara para se dividir - algo que a ciência moderna não tinha visto antes de forma tão clara. Um microscópio utilizando a nova tecnologia deve estar disponível no mercado no ano que vem.       BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
ciênciatecnologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.