Novo coquetel reduz risco de morte por câncer de mama

Um grupo internacional de cientistas desenvolveu um novo tratamento baseado na combinação de medicamentos que reduz um terço o risco de mortes por câncer de mama.Quase 90% de um grupo de vítimas do câncer de mama sobreviveu cinco anos após ter sido submetido a esse tratamento, publica nesta quinta-feira a revista britânica New England Journal of Medicine.Trata-se de uma combinação dos remédios convencionais adriamicina, ciclofosfamida e o novo taxotere, desenvolvido pelo Grupo Internacional de Pesquisa sobre o Câncer de Mama.Sua eficácia foi testada entre 1.491 mulheres com um câncer de mama estendido ao sistema linfático, das quais 87% conseguiram sobreviver depois de cinco anos, contra 81% das que seguiram um tratamento convencional.Em conjunto, o novo tratamento permitiu reduzir em 30% o número de mortes. No entanto, os especialistas advertem que essa combinação de medicamentos tem mais efeitos colaterais, como infecções e febre, mas estes só aparecem durante o tratamento."Este tipo de terapia representa um avanço significativo nas opções de tratamento que temos e poderia evitar centenas de mortes por anono Reino Unido em decorrência do câncer de mama", segundo o professor britânico Rob Coleman.

Agencia Estado,

02 de junho de 2005 | 15h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.