Novo microscópio permitirá análise de átomos no Canadá

Pesquisador diz que aparelho de US$ 15 milhões equivale a Hubble do plano atômico.

Da BBC Brasil, BBC

21 de outubro de 2008 | 19h57

Um avançado e poderoso microscópio de elétrons, com grande capacidade de resolução, foi instalado em um novo centro de microscopia de elétrons, o Canadian Centre for Electron Microscopy, na Universidade McMaster, no Canadá."A resolução do microscópio Titan 80-300 Cubed é notável", afirmou Gianluigi Botton, diretor do centro e líder do projeto. "Seria o equivalente a um telescópio Hubble sendo usado para fazer observações do plano atômico, em vez de estrelas e galáxias.""Com esse microscópio, podemos facilmente identificar átomos, medir seu estado químico e até investigar os elétrons que os mantêm juntos."Botton diz que a Universidade McMaster é "a primeira no mundo com um microscópio de tão alto calibre" e afirma que o aparelho coloca os pesquisadores no limite do que a física permite que seja possível ver. LaboratórioO microscópio fica dentro de um laboratório projetado especialmente para oferecer a estabilidade necessária para o aparelho e é capaz de resistir a vibrações ultra-graves, ruídos graves e variações mínimas de temperatura."Mesmo respirar perto de um microscópio normal pode afetar a qualidade dos resultados", afirma Botton.A operação do instrumento será realizada em um compartimento separado para assegurar resultados de maior qualidade.De acordo com John Preston, diretor do Brockhouse Institute for Materials Research da Universidade McMaster, o microscópio vai analisar centenas de produtos de uso diário para tentar entender, manipular e melhorar sua eficiência.Construído na Holanda pela FEI Company, o Titan custou US$ 15 milhões e também deve auxiliar no desenvolvimento de iluminação mais eficiente e de melhores células solares (usadas para captar energia solar), além do estudo de proteínas e substâncias utilizadas no combate ao câncer.O Titan também poderá auxiliar na criação de materiais automotivos mais leves e fortes, cosméticos mais eficientes e memória de alta densidade para maior rapidez em aparelhos eletrônicos e de telecomunicações.Para Mo Elbestawi, vice-presidente da Universidade McMaster, o Titan 80-300 Cubed reforça a posição do Canadá como "líder mundial em nanotecnologia".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.