Novo plano de Bush põe em dúvida destino da ISS

A visão do presidente George W. Bush, de levar astronautas de volta à Lua e pela primeira vez a Marte, põe em dúvida o futuro da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês). A Nasa continuará a apoiar o laboratório orbital por mais dez ou doze anos, mas para além disso a situação é nebulosa. Também não se sabe se os demais países que compõem o consórcio de construtores da ISS estarão dispostos a continuar com o projeto após a retirada da Nasa. ?O futuro da estação ainda está para ser determinado?, disse Michael Kostelnik, administrador da Nasa que supervisiona os programas da ISS e de ônibus espaciais. Com as novas metas da Nasa, a ISS deixa de ser a pedra angular do programa espacial americano e se converte num estágio intermediário para fins mais ambiciosos, dizem especialistas.Semana passada, Bush disse que o ônibus espacial deixará de voar depois que a ISS estiver completa, por volta de 2010. No período entre o fim do programa de ônibus espaciais e o lançamento das naves que irão substituí-lo, previsto para 2014, a ISS dependerá de cápsulas russas para receber astronautas.

Agencia Estado,

21 de janeiro de 2004 | 18h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.