Novo teste identifica propensão genética a dormir tarde

O teste indicaria hábitos matutinos ou vespertinos através de análise dos genes.

Da BBC Brasil, BBC

06 de junho de 2008 | 08h12

Cientistas da Universidade de Swansea, no País de Gales, desenvolveram um exame genético que, segundo eles, é capaz de identificar o padrão de sono de uma pessoa apenas com uma raspagem da bochecha. O teste, apresentado na quinta-feira durante um festival de ciências em Cheltenham, na Inglaterra, pode ajudar estudos sobre transtornos do Déficit de Atenção e de Hiperatividade e monitorar a eficácia de tratamentos quimioterapia. De acordo com os pesquisadores, o ciclo natural do sono, conhecido como ritmo circadiano, é controlado por diversos genes, responsáveis pela produção de ácidos ribonucléicos (RNA). Os níveis de ácidos ribonucléicos produzidos por esses genes indicam o quão ativo eles estão em horas diferentes do dia. O teste apresentado se concentra no gene REV-ERB, que seria o responsável pelo estado de vigília do corpo humano e que tem seu pico de produção de RNA às 16h.Ao analisar o horário do pico de atividade do gene REV-ERB em cada pessoa, seria possível identificar o seu cronotipo, ou seja, se uma pessoa é mais propensa a acordar cedo ou a varar a noite."Se o pico de atividade do REV-ERB é antes das 16h, isso indicaria que a pessoa tem tendência a acordar cedo, já se o pico acontece depois das 17h, isso seria uma indicação de hábitos mais noturnos", explica Sarah Forbes-Robertson, da equipe de cientistas. TécnicaForbes-Robertson afirma que a novidade oferecida pelo exame é a técnica menos invasiva, já que apenas uma raspagem do interior da bochecha é capaz de oferecer os dados necessários para a análise do cronotipo da pessoa. Anteriormente, diz a pesquisadora, era necessário coletar sangue dos pacientes a cada quatro horas durante um período de 24 horas. Por essa razão, a cientista ressalta que técnica pouco invasiva pode abrir novos caminhos para a pesquisa sobre a atividade dos genes e aumentar o número de estudos. Segundo ela, outra utilidade para o exame seria avaliar a eficácia de remédios usados para combater o jet lag em alterar a atividade dos genes que controlam o relógio biológico.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.