Novo tipo de hominídeo é descoberto em ilha remota

Um hominídeo de aproximadamente 1 metro de altura, capaz de produzir e usar ferramentas de pedra, promete desarrumar um bocado as peças do quebra-cabeças da evolução humana.Seus vestígios - crânio e partes do restante de um esqueleto feminino adulto e alguns utensílios -, datados de 18 mil anos, foram encontrados por pesquisadores australianos na exótica ilha indonésia de Flores, situada entre as de Timor e Sumbawa.O achado foi anunciado na edição desta quarta-feira da revista britânica Nature, como um evento de extrema relevância para a ciência. "É uma descoberta extraordinária, porque desafia por completo a idéia do que nos faz humanos", disse Chris Stringer, do Museu de História Natural de Londres.Esta é considerada uma das mais importantes descobertas dos últimos 100 anos.Além dos neandertaisO Homo floresiensis mostra que os neandertais não foram os únicos a conviver com o Homo sapiens. Os neandertais viveram na Europa, até 30 mil anos atrás, enquanto o hominídeo indonésio seria um contemporâneo mais recente. E não se descarta nem mesmo a possibilidade destes pequenos ainda viverem em alguma ilha isolada naquela região.Segundo os cientistas da Universidade de Nova Inglaterra, em Armidale, o hominídeo deve pertencer a uma espécie derivada do Homo erectus que teria saído da África para a Ásia há cerca de 2 milhões de anos.O crânio encontrado é muito diferente de um crânio humano moderno e comporta um cérebro pouco menor do que o de um chimpanzé. Este fato também põe em xeque algumas teorias sobre a evolução. O cérebro do Homo floresiensis media 380 milímetros cúbicos, abaixo daquilo que os estudiosos consideravam o tamanho mínimo para um cérebro humano ser razoavelmente inteligente.O Homo floresiensis já conhecia formas de produzir e usar o fogo, além de produzir ferramentas de pedra. Uma das dúvidas dos pesquisadores, entretanto, é a forma como ele cruzou o mar para chegar à ilha, já que não saberia construir embarcações.Os pesquisadores vão estudar agora amostras de DNA para aprofundar os estudos sobre os homenzinhos da Ilha de Flores.Hobbits existem?Os pesquisadores australianos encontraram os restos numa caverna na pequena ilha de Flores, a leste de Java, onde o hominídeo provavelmente conviveu com elefantes em miniatura e dragões de Komodo (grandes lagartos carnívoros ainda existentes).Não seria de admirar que haja descendentes vivos nesta ilha remota e exótica, sobre a qual os habitantes da região costumam contar a lenda de "Ebu Gogo", uma estranha criaturinha de 1 metro de altura e forma humana.A lenda é contada pelo menos desde a época em que os primeiros exploradores holandeses chegaram àquelas ilhas. Dizia-se que o as pessoas que andavam ali ouviam suas palavras serem repetidas por alguém dentro das matas, que raramente era visto.Os hobbits, portanto, podem não ser apenas seres imaginados por J.R.R. Tolkien, o cultuado autor de O Senhor dos Anéis. O diretor da Nature, Henry Gee, disse numa coletiva em Londres que já não é mais possível rechaçar simplesmente as histórias contadas como aventuras de hobbits e outras criaturinhas fantásticas.

Agencia Estado,

27 de outubro de 2004 | 15h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.