Novo tipo de milho escapa de cruzamento com OGM

Pesquisadores americanos desenvolveram um novo tipo de milho que poderá ser plantado perto de milharais modificados geneticamente e não sofrer sua contaminação.Quando começaram a usar organismos geneticamente modificados (OGM) em 1996, o agricultor Tom Hoegemeyer observou como crescia a preocupação da Europa. O nervosismo se dava porque o pólen de plantações pode viajar de um campo para o outro, contaminando plantações naturais.Por isso, Hoegemeyer selecionou um antigo tipo de milho proveniente da América Central. Trabalhou em um clima tropical com oito gerações do exótico milho e desenvolveu naturalmente uma variedade de milho que rejeita qualquer pólen que não seja o seu.O resultado é um tipo de milho recém-patenteado e denominado PuraMaize que, segundo Hoegemeyer, permitirá aos milharais modificados e não modificados crescerem juntos com pouca ou nenhuma contaminação.Os especialistas assinalam que o PuraMaize poderá ajudar a ocupar um nicho de US$ 23 bilhões no mercado mundial de grãos."Pode ser de grande ajuda para as exportações", afirmou o professor de agronomia Rex Bernardo, da Universidade de Minnesota (EUA).No ano passado, 18% da produção americana foi exportada para o Japão, México, Taiwan e outros países.Os agricultores americanos, no entanto, não podem vender espécies geneticamente modificadas para a França, Alemanha, Grécia, Áustria e Luxemburgo, mas agora talvez possam fazer frente à resistência dos consumidores - especialmente na União Européia (UE), Japão e Austrália - que continuam desconfiando da segurança dos OGMs.   leia mais sobre transgênicos

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.