Reuters
Reuters

Obama baixa norma exigindo que carros poluam 30% menos

Nova regra, válida para todos os carros, caminhões e ônibus que circularem nos EUA, entra em vigor em 2016

Associated Press,

19 de maio de 2009 | 15h03

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou nesta terça-feira, 19, novos padrões de emissão de gases causadores do efeito estufa para veículos automotores, e metas de eficiência no consumo de combustível para ajudar a livrar os EUA de sua dependência em derivados de petróleo. O presidente referiu-se ao plano como uma virada histórica na direção de uma economia de energia limpa.

 

Especial: expansão econômica vs. sustentabilidade

Mapa da emissão de carbono

Temperatura da Terra subirá antes do previsto, diz MIT

 

A abordagem do problema nas duas frentes que agravam as ameaças ao ambiente marca a mais recente de uma série de mudanças de política em relação ao governo de George W. Bush.

 

"Embora os Estados Unidos tenham menos de 5% da população mundial, criamos cerca de um quarto da demanda global por petróleo. E este apetite vem a um preço tremendo", disse o presidente, que fez o anúncio da medida cercado por membros do Congresso, da indústria automobilística e de sindicatos do setor.

 

Sob os novos padrões de emissão, carros vendidos nos Estados Unidos terão de emitir cerca de 30% menos dióxido de carbono até 2016. Novos padrões de eficiência no consumo de combustível exigem uma melhora também de 30%.

 

Obama disse que as novas regras equivalem a retirar 177 milhões de carros das estradas pelos próximos 6 anos e meio.

 

Nesse período, a economia em combustível queimado para mover automóveis equivalerá soma das importações de petróleo feitas pelos EUA no ano passado da Arábia Saudita, Venezuela, Líbia e Nigéria.

"Como resultado deste acordo", disse Obama, "pouparemos 1,8 bilhão de barris de petróleo ao longo da vida útil dos carros que serão vendidos nos próximos cinco anos. Num momento de crise histórica em nossa indústria automobilística, esta regra oferece a clara certeza de que permitiremos que essas empresas planejem um futuro no qual estarão construindo os carros do século 21".

 

Embora os novos padrões de consumo e emissão permitam a economia de bilhões de barris de petróleo, eles deverão custar aos consumidores cerca de US$ 1,3 mil por veículo, quando o plano estiver completo, em 2016.

 

Os novos padrões foram definidos, em parte, para superar o embate entre o governo federal e Estados, principalmente a Califórnia, que vinham adotando regras estritas para o desempenho dos automóveis.

O plano Obama cria restrições que são basicamente as que os Estados vinham adotando, mas oferece à indústria um prazo maior que o previsto nas legislações locais para se adaptar.

 

A indústria vinha se preparando para enfrentar os Estados na Justiça, mas cedeu ao plano federal para poder ter mais prazo e uma norma única válida em todo o país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.