Observatório Zênite/Divulgação
Observatório Zênite/Divulgação

Observatório mineiro capta Marte em proximidade máxima com a Terra; veja vídeo

Distância entre os dois planetas foi de 62,7 milhões de quilômetros, a menor prevista para os próximos 14 anos; Gravação registrou o movimento de rotação e algumas estruturas geológicas do planeta vermelho

Marcela Coelho, O Estado de S.Paulo

14 de outubro de 2020 | 10h00

O Observatório Zênite, que fica em Monte Carmelo, em Minas Gerais, captou o planeta Marte em sua aproximação máxima com a Terra durante a noite da última quarta-feira, 7. A distância entre os dois planetas foi de 62,7 milhões de quilômetros, a menor prevista para os próximos 14 anos.

A gravação, que durou cinco horas, conseguiu registrar com detalhes o movimento de rotação e algumas estruturas geológicas do planeta vermelho. As imagens foram feitas com o telescópio SCT Celestron C8, montagem CG5 GT, câmera ASI290mc.

"Durante a captura, ao sul, podemos observar a capa polar bem pequena, só o que sobrou dela devido ao verão no hemisfério marciano. Ao norte, um tom mais branco-azulado é o polar hood, uma nuvem de cristais de água que se forma e precede o crescimento da capa polar. Já à direita também temos algumas nuvens azuladas ocasionais. As manchas escuras que são vistas pelo globo são características do relevo marciano, em destaque Syrtis Major, que parece o mapa da África", disse Carlos Alberto Palhares, técnico em Tecnologia da Informação, astrônomo amador e astrofotógrafo do Observatório Zênite.

Palhares explicou que essa máxima aproximação de Marte com a Terra acontece a cada dois anos. Em 2018, foi o ápice de aproximação, mas a tendência é os dois planetas se afastarem mais a cada período e agora só voltarem a ficar tão próximos em 14 anos. Isso ocorre por conta da órbita do planeta vermelho, que é mais elíptica. "A aproximação deste ano já está mais afastada do que em 2018. Só em 2035, Marte voltará a ficar tão perto como agora. Para quem gosta de observar, esse é o melhor momento", falou.

Como observar Marte?

Segundo o astrofotógrafo, Marte pode ser vista ainda por mais 8 ou 9 meses. "Só que durante esse tempo, fica cada vez mais distante e pequeninha até sumir. Quando chegar perto do Sol (visto aqui da Terra), você não consegue mais ver."

O planeta vermelho tem o formato estrelar e é bastante brilhante, numa tonalidade bem avermelhada. “À noite, é possível ver a olho nu nascendo a Leste, mais ou menos onde nasce a Lua. Por volta de meia-noite, bem alto no céu, bem em cima da sua cabeça. E mais no final da madrugada se pondo a oeste, mais ou menos onde se vê o pôr do sol”, orientou Palhares.

Para facilitar a identificação, ele também indicou a instalação de um software de reconhecimento do céu no celular. Um dos mais comuns, de acordo com Palhares, é o SkyView, que mostra o céu em tempo real do local onde a pessoa estiver.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.