OCDE quer reduzir custo político de ação ecológica

Segundo a organização, ações contra mudança climática têm ônus político que deve ser negociado

Efe

03 de junho de 2008 | 21h09

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) trabalha na criação de condições para "reduzir o custo político" das medidas adotadas para combater a mudança climática, assinalou nesta terça-feira, 3, seu secretário-geral, Angel Gurría.   Segundo Gurría, a OCDE trabalha para reduzir o custo político das medidas impostas para limitar o aquecimento da Terra a um nível que se possa negociar.   Na primeira dos dois dias do fórum da organização realizado em Paris e cujo tema este ano é a mudança climática, o crescimento e a estabilidade, Gurría disse ainda que essa missão ajuda a explicar ao mundo que "é possível" um dispositivo para reduzir os efeitos da mudança climática "do ponto de vista técnico, econômico e político".   O secretário-geral da OCDE disse ainda que é preciso "um trabalho pedagógico" que alcance em primeiro lugar os políticos, o mundo dos negócios e os meios de comunicação.   Para Gurría "fazem falta mecanismos inovadores para repartir o custo", entre países ricos e países pobres, da adaptação a um novo regime energético.   Segundo ele, caso não se tome medidas nos países emergentes, onde se espera o maior aumento da demanda energética, as políticas de diminuição dos danos gerados pela mudança climática não serão eficazes.   Gurría disse que muitos desses países não têm os recursos necessários para iniciar essas políticas e por isso deverão receber transferências tecnológicas.

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento global

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.