OMS vê Europa melhor preparada contra gripe aviária

A Europa está melhor articulada para conter uma eventual pandemia da gripe aviária, e parece não repetir os erros dos países asiáticos, afirmou nesta segunda-feira o diretor regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Pacífico Oeste, Shigeru Omi. Ele abriu a em Copenhague conferência especial da OMS sobre gripe aviária, que vai durar três dias."Os países europeus têm uma excelente chance de conter o vírus", disse Omi na reunião de especialistas de 52 países europeus e da Ásia Central.Diferentemente do que ocorreu na Ásia, comparou o diretor, a Europa formulou planos comuns com troca de informação entre países, tem recursos financeiros e capacidade técnica e, na maioria dos países, as aves de granja não estão misturadas com outras. Ele também elogiou as condições sanitárias e o menor contato dos animais com as pessoas.No entanto, Omi enfatizou que o vírus H5N1, a cepa mais mortífera da gripe aviária, é "imprevisível" e "muito difícil de controlar".A conferência foi organizada pelo Escritório Regional Europeu da OMS e pela Comissão Européia (CE) e é a continuação de outra, realizada em março em Luxemburgo. Fernand Sauer, diretor de Saúde Pública da CE, reforçou que, portanto, não se trata de uma "reunião de emergência".O encontro pretende analisar os planos dos diferentes países diante de uma possível pandemia de gripe aviária. As autoridades médicas vão discutir como torná-los operacionais, compartilhar todos os dados e elaborar um programa de atuação conjunta.Na reunião dos ministros de Exterior da UE, foi constatado que 31 dos 52 países da área européia e centro-asiática prepararam e desenvolveram planos especiais para atuar em um caso de pandemia, assinalou Gudjón Magnússon, diretor da Divisão de Apoio Técnico da OMS.O diretor de Saúde Pública da CE, no entanto, apontou que a maioria dos planos se concentra apenas no setor sanitário e despreza os outros setores que seriam prejudicados no caso de uma pandemia. Sauer disse que há "muitos mal-entendidos" na opinião pública, que confunde a gripe aviária com a pandemia e a gripe tradicional.Na agenda da conferência aparecem ainda questões como as ações nos transportes e fronteiras caso seja declarada uma situação de pandemia, e como políticas de vacinação de antivirais.   leia mais sobre gripe aviária

Agencia Estado,

24 de outubro de 2005 | 13h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.