Ong recupera trilhas de Ilhabela

Comprometidas pelo afluxo cada vez maior de visitantes, as trilhas do Parque Estadual de Ilhabela estão sendo recuperadas através de uma parceria entre a entidade ambientalista ilhabela.org e a Natura. O projeto, que conta com o apoio da Prefeitura de Ilhabela e do Instituto Florestal, responsável pelo parque, inclui a regularização do traçado, implantação de sinalização, monitoria e manutenção das trilhas do Pico do Baepi e Cachoeira da Pancada D´Água.O Parque Estadual de Ilhabela, que cobre 86% de uma das maiores ilhas oceânicas brasileiras, tem nessas trilhas algumas de suas maiores atrações. No entanto, a administração da unidade de conservação não tem condições materiais e humanaspara fiscalizar ou restringir o número de visitantes.A regularização de seu traçado vai evitar que a ação combinada do pisoteio dos turistas e da ação das chuvas provoque erosão nas encostas das montanhas, cobertas por uma exuberante vegetação de Mata Atlântica. Segundo Ricardo Anderaus, da ilhabela.org, foram investidos R$ 30 mil em obras de melhoria da estrutura física e sinalização das trilhas, que serão inauguradas no próximo sábado. "Essas trilhas são muito usadas, sem que haja levantamentos estatísticos sobre freqüência e capacidade de carga. Por isso, durante a temporada de verão, voluntários da ong farão a manutenção e monitoramento do uso, com relatóriossemanais, que servirão de subsídio para uma segunda etapa, que seria o controleefetivo do acesso às trilhas pelo Instituto Florestal", disse.Para embasar os estudos técnicos, estudantes dos cursos de Agronomia, Engenharia Florestal, Ecologia, Biologia e Turismo do Senac farão, durante a semana de 27 a 31 de janeiro, reparos nas duas trilhas e avaliação do impacto do ecoturismo na Mata Atlântica.Em fevereiro, voluntários farão mutirões de limpeza nas trilhas. Todas as informaçõescoletadas, assim como dados sobre o desenvolvimento do projeto, poderão serencontrados na internet, no endereço www.ilhabela.org/trilhas.Todas as etapas do trabalho contam com supervisão da responsável pelo Parque, Kátia Biagini, e do engenheiro florestal Waldir Joel de Andrade, pesquisador científico do Instituto Florestal e responsável pelo Parque Estadual dos Mananciais de Campos do Jordão."A ilhabela.org sensibilizou o setor privado e conseguiu fazer os poderes públicos municipal e estadual trabalharem coordenadamente na defesa do meio ambiente. Esse é um dos papéis destinados ao Terceiro Setor na lei do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) e um modelo a ser seguido", disse Elci Camargo, coordenadora do Departamento Jurídico da Fundação SOS Mata Atlântica.

Agencia Estado,

18 de dezembro de 2002 | 19h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.