ONGs pedem fim do tráfico de óvulos na Europa

Organizações não governamentais e representantes de partidos políticos europeus pediram nesta sexta-feira na Eurocâmara que ponha fim ao tráfico de óvulos humanos "da Romênia para o Reino Unido e possivelmente para outros países da União Européia".Especialistas em Saúde e representantes de Verdes, Esquerda Unitária, Liberais e Partido Popular Europeu assinam uma declaração que denuncia a existência de uma clínica na Romênia especializada na doação de óvulos para pessoas de países da UE, em particular do Reino Unido, em troca de dinheiro."A extração de óvulos humanos é um alto risco para a vida e a saúde das mulheres, ao se produzir uma superestimulação dos ovários" e pode causar câncer no ovário, hemorragias, infecções e danos psicológicos, afirma a nota.As mulheres que estão em uma situação precária são mais vulneráveis a esta situação, já que as promessas de incentivos econômicos podem levá-las a recorrer a essas práticas, alertam os responsáveis pela declaração, que esperam que "os médicos, pesquisadores e políticos detenham a exploração das mulheres no mundo".RegrasAs ONGs pediram à UE que estabeleça regras sobre doações voluntárias e não remuneradas de células e tecidos. A declaração foi apresentada um seminário organizado pela ONG britânica Core, especializada em questões de ética reprodutiva."Os países-membros devem garantir as doações voluntárias e não remuneradas de tecidos e células", como exige a legislação européia,"para evitar o tráfico de partes do corpo humano e impedir que se transforme em uma fonte de lucro."Para os participantes desta iniciativa, "a Comissão Européia (CE, órgão executivo da UE) e os países-membros deveriam realizar um estudo o mais rápido possível da legislação em cada país sobre a doação de óvulos e os sistemas de compensação (econômica)" dessas práticas. Também deveriam divulgar "os riscos e efeitos a longo prazo da doação de óvulos", assim como dos danos psicológicos.A declaração afirma que é preciso dar "uma solução real" aos casais estéreis que esperam uma doação de óvulos, e pede à CE que intensifique e reforce as alternativas para a prevenção e o tratamento da infertilidade.

Agencia Estado,

01 de julho de 2005 | 13h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.