Ônibus espacial Atlantis deixa Estação Espacial Internacional

Voo é a missão final no espaço para o Atlantis, que, como os outros ônibus-espacias, será aposentado

IRENE KLOTZ, REUTERS

23 Maio 2010 | 17h00

O ônibus espacial Atlantis partiu da Estação Espacial Internacional no domingo, deixando para trás o que um astronauta chamou de "palácio" no espaço que está 98% completo depois de 12 anos de construção.

O ônibus espacial e seis astronautas norte-americanos devem retornar ao Centro Espacial Kennedy na Flórida nesta quarta-feira.

O voo é a missão final no espaço para o Atlantis, com as naves irmãs Discovery e Endeavour programadas para as últimas missões em setembro e novembro.

A agência espacial dos EUA, a Nasa, está aposentando os ônibus por motivos de custo e segurança, e porque os pesados transportadores não serão mais necessários uma vez que a estação espacial, projeto de 100 bilhões de dólares e 16 nações, estiver completa.

"Esse lugar agora é um palácio", disse a jornalistas o astronauta da Atlantis Piers Sellers durante uma ligação feita do espaço nesse domingo. "Me diverti muito explorando ele. É realmente magnífico."

O Atlantis chegou à estação espacial no dia 16 de maio para entregar um novo módulo de ancoragem russo e um laboratório de pesquisa, baterias novas para um sistema de energia solar, uma antena reserva de comunicação, uma nova plataforma para um guindaste robótico, experiências científicas e mantimentos para os seis membros da tripulação que estão a bordo.

"Tivemos uma ótima experiência juntos", disse o comandante do Atlantis, Ken Ham, antes de se despedir, junto com seus colegas tripulantes, da equipe que permaneceu na estação. "Nos veremos novamente na superfície do planeta Terra em breve."

O ônibus espacial partiu da estação às 11h22 (12h22, horário de Brasília), enquanto as naves viajavam 355 quilômetros acima do Oceano Índico.

Mais conteúdo sobre:
CIENCIAATLANTISESPACIALVOLTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.