Reuters
Reuters

Ônibus espacial Endeavour pousa em segurança na Flórida

Tripulação instalou uma plataforma japonesa para telescópios na Estação Espacial Internacional

AE-AP,

31 de julho de 2009 | 12h00

O ônibus espacial Endeavour e seus sete astronautas retornaram para a Terra nesta sexta-feira, concluindo com sucesso o longo trabalho que aumentou o tamanho e a capacidade da estação espacial internacional.

 

A chegada tranquila e minuciosa da nave, após mais de duas semanas em órbita, deu início a uma série de cumprimentos e empolgadas boas-vindas a Koichi Wakata, o primeiro japonês a retornar de uma extensa viagem ao espaço. Ele permaneceu na estação espacial internacional por quatro meses.

 

Como ele havia pedido, uma porção de sushi o esperava. Mas foi mais do que Wakata esperava: a comida foi jogada contra ele por funcionários do Centro Espacial Kennedy no alojamento da tripulação.

 

Wakata foi recebido pelo presidente da Agência Espacial Japonesa "Ele disse que fez seu melhor", disse o Keiji Tachikawa. O representante disse que ficou surpreso em ver Wakata logo após a aterrissagem e disse que ele está bastante saudável, apesar da reintrodução à gravidade, e feliz por estar de volta.

 

Apesar de contentes com a substituição de Wakata, os astronautas que permaneceram na estação espacial disseram que sentirão falta dele.

 

"Nós certamente sentiremos falta daqui, mas não há lugar como nossa casa", disse o comandante da nave, Mark Polansky. "Ele parecia muito emocionado quando apertou a mão de graduados integrantes da missão espacial e andou ao redor da espaçonave.

 

"Que missão fantástica", disse ele.

 

Ao visitar a estação espacial, Polansky e sua tripulação levaram uma nova parte do laboratório japonês de US$ 1 bilhão, instalaram novas baterias e fizeram estoque de algumas peças. Eles completaram todos os seus principais objetivos e fizeram parte da maior reunião já realizada no espaço: contando os seis residentes da estação espacial, o número chegou a 13 astronautas no espaço de uma única vez.

 

A viagem do ônibus espacial durou 16 dias e percorreu 6,5 milhões de milhas, uma das mais longas da Nasa. Para Wakata, foram 138 dias de missão, já que ele havia chegado à estação espacial em março. Em seu lugar ficou o norte-americano Timothy Kopra, que foi para a estação espacial no voo do Endeavour.

 

Antes de deixar a órbita terrestre, Wakata disse que estava ansioso por comer sushi como sua primeira refeição ao voltar à Terra e para aproveitar a primavera assim que voltar ao Japão. No topo de sua lista, porém, estava encontrar sua esposa alemã e o filho deles, de 11 anos, que estavam no centro espacial esperando sua chegada. Cerca de 50 japoneses estavam reunidos no local de aterrissagem.

 

Wakata voltou em tempo para comemorar seus 46º aniversário, no sábado.

 

"Eu estou aliviada e feliz de ter meu marido de volta", disse Stefanie Wakata em comunicado escrito. "Foi uma jornada longa para todos nós e eu estou ansiosa para passarmos algum tempo juntos".

 

É um hábito japonês trazer suvenires de uma longa viagem. Quando perguntado pelos jornalistas se Wakata fizera isso, Tachikawa disse que certamente o astronauta voltou com novas ideias e impressões sobre o espaço.

 

Outros astronautas do Endeavour realizaram cinco caminhadas espaciais, um recorde para um único voo, e ajudaram seus colegas da estação espacial quando houve problemas com um banheiro local e com o superaquecimento de um purificador de ar.

 

O banheiro, um dos três entre a aeronave e a estação, foi arrumado em um dia, mas o sistema de limpeza de ar continuava sem funcionar nesta sexta-feira.

 

Outro ponto-chave: os astronautas celebraram o 40º aniversário da primeira aterrissagem na Lua e da primeira caminhada no satélite.

 

O laboratório japonês Kibo, que significa esperança, recebeu uma entrada frontal para experimentos do lado de fora da estação durante a visita do Endeavour. Um telescópio de raio X e um monitor do ambiente espacial foram instalados na entrada, além de equipamentos de comunicação.

 

A missão concluiu o trabalho com o laboratório, o maior da estação orbital, que levou mais de um ano e três viagens até a conclusão dos trabalhos.

 

Em setembro, os japoneses farão seu primeiro lançamento de uma aeronave de carga.

 

Para a Nasa, ainda serão necessários sete voos espaciais para concluir a estação espacial, que agora está 83% concluída e com cerca de 317.518 quilos de massa. O próximo voo, do ônibus espacial Discovery, está programado para o final de agosto. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EndeavourNasaespaçociência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.