ONU aprova declaração contra clonagem humana

A Assembléia Geral das Nações Unidas aprovou nesta terça-feira a declaração que pede aos governos que adotem medidas para proibir todas as formas de clonagem humana, mesmo sendo voltadas para fins médicos. O texto havia sido definido em 18 de fevereiro passado e tem caráter de simples recomendação.Com uma Assembléia Geral fortemente dividida, a declaração foi aprovada com 84 votos a favor, 34 contra e 37 abstenções, o que representa uma vitória para os Estados Unidos e a Costa Rica, que lideram na ONU uma campanha contra todo tipo de clonagem humana.No documento, a ONU sugere que os países proíbam ?todas as formas de clonagem de seres humanos por serem incompatíveis com a dignidade humana e a proteção da vida humana?. A aprovação ocorreu com praticamente os mesmos votos da primeira votação.Apresentada por Honduras, a proposta foi apoiada pelo 6.º Comitê da Assembléia, encarregado dos assuntos legais. Os países que se opõem à medida, encabeçados por Bélgica, Reino Unido e China, lembraram que o texto não é vinculativo, por isso continuarão a fazer pesquisas células clonadas com fins terapêuticos.Esse grupo é a favor da proibição da clonagem humana com fins reprodutivos, mas propõe que cada país regule, por meio de suas legislações, a clonagem de células humanas para a pesquisa de curas para doenças como Alzheimer, câncer e diabete.   leia mais sobre células-tronco

Agencia Estado,

08 de março de 2005 | 21h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.