ONU fará mapa da capacidade do solo em fixar carbono

Segundo a FAO, áreas de grande retenção podem se transformar 'em sumidouros de gases do efeito estufa'

Efe

21 de julho de 2008 | 17h04

Uma nova base de dados sobre o solo permitirá à Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) a elaboração de um mapa mundial que identifica as áreas em que a terra tem maior capacidade de fixar carbono, segundo um comunicado divulgado nesta segunda-feira, 21, pelo organismo.   A FAO assinalou que os cientistas têm um interesse crescente "em encontrar formas para aumentar a retenção do carbono no solo", que pode se transformar "em um sumidouro de gases do efeito estufa", sobretudo em zonas pouco habitadas e degradadas.   Para a identificação destas áreas com maior potencial para absorver carbono, contribuirá a nova ferramenta desenvolvida pela FAO e pelo Instituto Internacional para a Análise de Sistemas Aplicados (IIASA), que uniram suas recentes atualizações e configuraram o Mapa dos Solos do Mundo FAO-Unesco.   A Base de Dados Mundial Harmonizada sobre o Solo (HWSD) elaborada a partir a partir desses dados servirá para aumentar a informação sobre a produtividade da terra, identificar os problemas e os recursos hídricos, e a avaliar o perigo da degradação.   "As propriedades químicas e físicas do solo ajudam a determinar a informação específica sobre o comportamento de um terreno como filtro de águas residuais, lugar para abrigar organismos, sumidouros de carbono ou local para construir", assegurou Alexander Müller, subdiretor geral da FAO.   "Quanto mais soubermos sobre as propriedades do solo, melhor poderemos avaliar a qualidade de nossos recursos naturais", afirmou Müller, responsável do Departamento de Ordenação de Recursos Naturais e Meio Ambiente.

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento global

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.