Organelas de cristais dão direção a bactérias marinhas

Que grupos de bactérias marinhas tinham um excelente senso magnético, usado para locomoção, os cientistas já sabiam. Agora, segundo estudo publicado na edição online da Nature, foi descoberto como isso acontece.Pesquisadores do Instituto de Microbiologia Marinha, em Bremen, e do Instituto de Bioquímica, em Martinsried, ambos do Instituto Max Planck, na Alemanha, identificaram uma proteína como a responsável pela criação da cadeia magnética das bactérias.Extraída da bactéria Magnetospirillum gryphiswaldense, a proteína recebeu o nome de MamJ e foi obtida a partir da identificação de um fragmento de 30 genes.Segundo o estudo, tudo ocorre dentro dos magnetossomos, organelas compostas de finos cristais de magnetita e que medem apenas 50 nanômetros (um nanômetro é a bilionésima parte de um metro).A proteína MamJ alinha os magnetossomos ao longo de uma estrutura citoesquelética, também desconhecida até agora. A esse trecho do DNA dos organismos marinhos estudados os pesquisadores deram o nome de ilha magnetossômica.

Agencia Estado,

30 de novembro de 2005 | 15h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.