<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1659995760901982&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Ozires defende produção de hidrogêneo a partir do álcool

O ex-presidente da Petrobras e ex-ministro da Infra-Estrutura, Ozires Silva, disse que é importante que o Brasil comece a pensar agora sobre como produzir hidrogênio a partir do álcool combustível. Para ele, é preciso acelerar esse processo. "Não é possível continuarmos queimando 85 milhões de barrís de petróleo por dia e jogando 10 milhões de poluentes de motores de combustão interna na atmosfera diariamente", comentou Ozires, após sua palestra no Seminário Internacional de Estratégia e Novos Mercados, do Congresso e Feira Nacional de Gestão Sucroalcooleira (Infocana), em Ribeirão Preto.Ozires Silva disse que o álcool é um sucesso de comercialização no Brasil, mas que poucos países o aceitarão, a longo prazo, na importação de combustíveis, preferindo serem auto-suficientes. Assim, o hidrogênio seria o combustível mais viável, porque pode ser extraído de qualquer lugar, além de ser renovável, limpo e armazenável. "Para o futuro, existe uma oportunidade imensa para o álcool, pois em sua estrutura química, esse produto tem átomos de hidrogênio, que irá suceder a economia do petróleo", enfatizou Ozires Silva."Precisamos tentar agora fazer pesquisas e criar produtos tecnologicamente aceitáveis, para que tenhamos destaque no futuro", disse Ozires, que comentou que está em contato com um Instituto de Engenharia de São Paulo para traçar ações para que o álcool seja um produtor fundamental de hidrogênio. Segundo ele, a redução de custos para a produção do álcool poderá colocar o Brasil em competitividade com o uso do hidrogênio.

Agencia Estado,

10 de agosto de 2004 | 12h31

Selecione uma opção abaixo para continuar lendo a notícia:
Já é assinante Estadão? Entrar
ou
Não é assinante?
Escolha o melhor plano para você:
Sem compromisso, cancele quando quiser
Digital Básica
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 8,90/mês a partir do segundo mês
  • Portal Estadão.
  • Aplicativo sem propaganda.
Digital Completa
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 18,90/mês a partir do segundo mês
Benefícios Digital Básica +
  • Acervo Estadão 146 anos de história.
  • Réplica digital do jornal impresso.
Impresso + Digital
R$
20, 90
/ mês
No primeiro ano
R$ 56,90/mês a partir do segundo ano
Benefícios Digital Completa +
  • Jornal impresso aos finais de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.