Padre é preso por abuso sexual na zona sul de São Paulo

Comunidade do religioso, de 39 anos, funcionava em mansão na região do Jóquei Clube

Gheisa Lessa - estadão.com.br

04 Julho 2012 | 11h33

Um padre foi preso, na última terça-feira, 3, acusado de praticar abusos sexuais contra jovens em uma instituição comandada por ele, que cuidava e evangelizava crianças carentes de comunidades próximas. A mansão do padre era localizada em uma praça, na região do Jóquei Clube, na zona sul de São Paulo.

 

O Ministério Público do Estado de São Paulo instaurou um inquérito de investigação desde novembro de 2011, após receber denúncias anônimas. O mandado de busca e apreensão contra o padre Anderson Risseto, de 39 anos, foi realizado na última terça, na mansão onde funciona a comunidade chamada "Advento".

 

O delegado titular do 15º Distrito Policial, Paul Verduraz, afirma que na casa de alto padrão, que era alugada pelo padre, foram encontrados materiais pornográficos, o que aumenta a hipótese dele ter praticado o crime.

 

"A própria igreja católica acusa o padre de estelionato porque ele não tinha autorização para evangelizar em nome da igreja, mesmo sendo padre", explica Verduraz. Ainda segundo o delegado, o padre não prestava contas de donativos que recebia para a Igreja, o que é tido como crime pela instituição.

 

"Contamos com depoimento de seis jovens que acusam o homem de abuso sexual. Ele nega. Ele disse que os meninos estão se vingando porque foram expulsos da comunidade", explica Verduraz ao estadão.com.br.

 

O padre Anderson Risseto está detido por prisão temporária no 77º Distrito Policial até a próxima sexta-feira, 6, quando a Justiça determinará se ele continuará preso ou se responderá as acusações em liberdade. 

Mais conteúdo sobre:
pedofiliaIgrejareligiãoVida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.