Pais de suposto bebê clonado relutam em fazer teste de DNA

Os pais de um recém-nascido anunciado como o primeiro ser humano clonado estão relutando em permitir que a criança do sexo feminino seja submetida a um teste de DNA, afirmou a diretora executiva da Clonaid, Brigitte Boisselier, empresa que diz ser a responsável pelo nascimento do bebê. "Os pais me pediram 48 horas para decidir se concordam ou não (com o teste)", afirmou ela ao canal de televisão francês France-2 em uma entrevista na quinta-feira à noite.A Clonaid recusou-se a identificar os pais ou oferecer prova da clonagem do bebê que recebeu o apelido de Eva. Mas prometeu que o resultado dos testes de DNA poderá confirmar até o final da semana o que vem afirmando.Muitos especialistas se mostraram céticos sobre a declaração da empresa de que Eva seja um clone, dizendo ser necessário um teste de DNA para confirmar a veracidade do fato. A Clonaid é ligada a uma seita religiosa que acredita que seres extraterrestres são os responsáveis pela vida sobre a Terra. Ela também é membro desta seita, denominada Raeliana. Justiça atentaBoisselier disse que os pais da criança estão reconsiderando se devem ou não submetê-la a testes em vista de um processo legal aberto na Flórida que poderá resultar no afastamento do bebê deles. Um tribunal da Flórida defendeu esta semana que a criança seja entregue aos cuidados do Estado se for considerado que sua saúde corre perigo.Embora a Clonaid venha mantendo os dados sobre o bebê em segredo, a companhia reuniu a imprensa para anunciar o nascimento do bebê clonado na Flórida, o que poderia dar jurisdição da corte sobre a criança, argumentou o advogado Bernard F. Siegel.A diretora e bióloga da Clonaid deu hoje ao jornal Le Monde alguns detalhes sobre o suposto caso de clonagem: a menina teria sido concebida com material genético de uma mulher lésbica interessada em criar um filho junto com a companheira.Segundo e terceiro clonesBosselier disse ainda que espera-se pelo nascimento de um segundo bebê clonado em algum lugar da Europa antes de domingo. Ela não quis identificar em que país a criança deve nascer, mas disse que também será mulher e que o evento ocorrerá na "Europa do Norte".Ainda segundo a bióloga, um terceiro nascimento por clonagem - sempre sob o controle dos raelianos e particularmente da Clonaid - está previsto para fins de janeiro.

Agencia Estado,

03 de janeiro de 2003 | 16h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.