Países amazônicos debatem sistemas agroflorestais

O plantio de culturas agrícolas aliado ao cultivo de essências florestais na Amazônia pode ser a melhor alternativa contra a degradação ambiental na região. Esse trabalho pode ser feito tanto em pequenas, médias, como em grandes fazendas e não exige altos investimentos.A técnica de utilização de sistemas agroflorestais está no centro de um debate entre pesquisadores de sete países amazônicos, que durante uma semana trocarão experiências sobre este e outros assuntos no seminário promovido pelo Centro Mundial Agroflorestal (Icraf), com sede em Nairobi, no Quênia.De acordo com Roberto Porro, secretário executivo da Iniciativa Amazônica, uma das organizadoras do seminário, a partir desta reunião será intensificada a formação de uma rede de pesquisa voltada para a utilização de sistemas agroflorestais como alternativa viável e sustentável à degradação ambiental.Em 30 anos, a Amazônia foi sacrificada em 80 milhões de hectares de suas florestas para atividades não sustentáveis. Hoje, desse total, mais de 30 milhões de hectares encontram-se em acelerado processo de degradação.A organização do evento é da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) da Amazônia Oriental e do Centro Internacional de Agricultura Tropical (Ciat), que tem sede em Cali, na Colômbia.   estatísticas sobre florestas

Agencia Estado,

20 de janeiro de 2005 | 11h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.