Palmelo tem maior proporção de espíritas no Brasil

Região que ficou conhecida por cura de doenças raras chamou a atenção até de Oprah Winfrey

Rubens Santos, de O Estado de S.Paulo

29 Junho 2012 | 23h20

GOIÂNIA (GO) - O município de Palmelo, no Sul de Goiás, detém a maior proporção de espíritas do País. E reproduz, no dia-a-dia, porque 45.5% da sua população de 3.335 habitantes, de acordo com o Censo 2010 do IBGE, segue o espiritismo como religião.

 

"A cidade nasceu (em 1929) e cresceu em torno do centro espírita", diz a professora Vânia Arantes, uma mineira de 62 anos, que vive há 42 anos em Palmelo, distante 125 quilômetros de Goiânia.

 

Um das pessoas mais influentes, Arantes explica que ao contrário da maioria dos municípios, que surgiram a partir do sino e a Igreja Romana, em Palmelo, cujo símbolo é a pomba branca "primeiro nasceu o Centro Espírita Luz da Verdade, depois a cidade". E os pioneiros "converteram" quem chegavam, por meio do evangelismo.

 

"Nem todo mundo é espírita na cidade", diz o pastor pentecostal Jovino Pereira. Ele diz que os segmentos evangélicos têm crescido na cidade, e atraído seguidores tanto do catolicismo quanto do espiritismo. E as mudanças devem ao direito a liberdade de culto, da Constituição de 1891.

 

"Ocorreram muitas perseguições contra os evangélicos e os espíritas", diz o pastor itinerante, de 59 anos. "Era tanta que os espíritas eram também chamados de bruxos, demônios ou feiticeiros", afirmou.

 

Há evangélicos da Congregação Cristã no Brasil, na rua Hilda Vilela, e também da Igreja Católica Apostólica Romana. E também há os sem-religião.

 

Elaine Lima da Silva trabalha no comércio local. Enquanto espera abrir vaga na Prefeitura - o maior empregador da cidade - passa o tempo entre idas e vindas a uma igreja evangélica e ao Centro Espírita. Onde, ela diz, recebeu curas de doenças descobertas pelo "raio x espiritual", e mensagens do além.

 

Vânia Arantes, que recebeu mediunidade há quatro décadas, confirma a existência das mensagens psicografadas. Ela mesmo também recebe e com elas escreve livros e auxilia no evangelismo.

 

As mensagens, na forma de cartas, teriam sido escritas por mortos e traduzidas por médiuns. Assim, o lugar é assistido por Maria de Magdala, ou Maria Madalena, a mentora. E o espírito dominante é de Eurípedes Barsanulfo, nascido há 132 anos em Sacramento, interior de Minas Gerais.

 

"Palmelo é uma cidade que trabalha em favor da cura, do alívio e da pregação do evangelho espírita", diz ela. "É um ponto de apoio espiritual, tem vibrações".

 

Historicamente, a cidade começou como Fazenda Palmela, depois povoado Palmelo, afinal distrito e município de Palmelo. E a religião predominante surgiu após a cura de vítimas do fogo selvagem (pênfico foliáceo), uma doença tida por contagiosa e superada, na época, por métodos de cura do espiritismo.

 

A doença aparecia na forma de bolhas na pele, boca e narinas. Quando estouravam, deixavam a pele avermelhada. Hoje, as bolhas cedem após diagnóstico médico e boas doses de corticoides.

 

Porém, foram esses pacientes perigosos, supostamente tratados e curados em Palmelo, que fizeram a fama do lugar, criaram seguidores, alimentou o crescimento da religião, e de visitantes de outros estados e do exterior.

 

"A cidade está melhorando, mas a cerca de sete anos, menos da metade das ruas era asfaltada", diz o prefeito Geraldo Afonso Leite (PP).

 

Geraldo está sob bombardeio da oposição. Há reclamações sobre ruas no escuro, enriquecimento, e salários atrasados na prefeitura: "A gente merece mais consideração", diz um servidor.

 

Nas ruas de Palmelo ainda se fala sobre dois homens, acusados de violência contra criança, e a prisão de um suspeito de integrar quadrilha de tráfico de drogas.

 

Num lugar sossegado como é, tem muito barulho por alternativas de emprego, assim como há varias pensões para dormir, e uma cachoeira para se visitar. A boa notícia veio de uma pesquisa do SUS. O IDESUS-2011 indicou que a cidade, com média de 6,1 é o segundo melhor serviço de atendimento médico em Goiás. Porque investe na prevenção de doenças. Mais que Goiânia, Britânia ou Três Ranchos, cidades com PIB muito maior.

 

Oprah. As doenças vistas pelos raios x espirituais, as cartas psicografadas e as cirurgias atraíram a norte-americana Oprah Winfrey, uma das mulheres mais poderosas do mundo.

 

Há três meses, ela esteve em Abadiânia, a 75 quilômetros de Goiânia, e a segunda cidade goiana com maior número de adeptos do espiritismo.

 

Ali, ocorrem cerca de 3,5 mil "cirurgias espirituais", toda semana, por meio do ex-garimpeiro João Teixeira de Faria, o João de Deus. Aos 70 anos, completados na semana passada, João vem atendendo três dias da semana, nos últimos 35 anos, pessoas em situações variadas. O que tornou a cidade conhecida pelo centro espírita, e já atraiu gente famosa como Winfrey:

 

"Eu não curo ninguém, quem cura é Deus", costuma dizer João Teixeira de Faria, ao receber caravanas oriundas, principalmente, de Minas Gerais, São Paulo e do Rio Grande do Sul, que se reúnem na Casa Dom Inácio de Loyola, numa área de 23 hectares.

 

Eles chegam de ônibus, táxi, carona. Quando vão embora, dizem deixar para trás as doenças, o medo e o pânico das cirurgias, por serem espirituais. Também deixam um rastro de gastos que alimenta parte da cidade à beira da rodovia (BR-060). O centro, porém, não tem estatísticas sobre quantos foram e os que não foram curados.

Mais conteúdo sobre:
Palmelo Goiás espiritismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.