Pão de Açúcar comercializará produtos ecologicamente corretos

De olho no chamado ?consumidor consciente?, que já representa mais de 20% de todo o mercado brasileiro, o Pão de Açúcar lançou hoje o projeto Caras do Brasil. A proposta é comercializar nas lojas com as bandeiras do grupo a produção de pequenas cooperativas brasileiras caracterizadas pelo manejo sustentável, contando para isso com o apoio de instituições como Sebrae, Instituto Acatu, Instituto Ethos, SOS Mata Atlântica e outras organizações não-governamentais (ONGs). ?O projeto é ao mesmo tempo social e comercial: valoriza e incentiva o trabalho de pequenos produtores brasileiros que respeitam o meio ambiente e também agrega valor às nossas lojas, com a oferta de produtos diferenciados e politicamente corretos?, destacou a vice-presidente do Pão de Açúcar, Ana Maria Diniz. De acordo com a executiva, o projeto nasceu de uma pesquisa realizada pelo Ministério do Meio Ambiente, na qual se identificou uma forte tendência do consumidor brasileiro em buscar produtos ecologicamente corretos. O estudo revelou, por exemplo, que 73% dos consumidores apresentam interesse em comprar produtos orgânicos. Outro dado interessante é que 81% dos entrevistados se mostraram motivados a comprar quando o rótulo informa que o produto foi fabricado respeitando o meio ambiente. Os produtos do Caras do Brasil, que vão desde alimentos orgânicos até artigos de artesanato, devem ganhar um espaço diferenciado dentro das lojas do Pão de Açúcar, Extra e Barateiro a partir de março do próximo ano. Essas áreas serão identificadas com a logomarca do projeto e podem ocupar desde uma até várias gôndolas dos supermercados. Para colocar o projeto em prática, o Pão de Açúcar contará com quatro profissionais da área de vendas, que já se ocupam de uma negociação diferenciada junto aos 3 mil fornecedores de pequeno porte do grupo. Esses funcionários serão responsáveis não somente por coordenar a compra dessas mercadorias junto a esses produtores, mas também por comandar a equipe que buscará esses produtos de manejo sustentável nas mais diversas comunidades do País. ?Para se ter uma idéia do potencial desse mercado, depois de uma sondagem inicial, recebemos 520 itens de todo País. Desse total, destacamos 350 e organizamos uma exposição interna, para colocar nossos funcionários em contato direto com o projeto?, contou o diretor executivo comercial do grupo, Hugo Bethlem. Investimento zeroO Pão de Açúcar não pretende, contudo, subsidiar nenhuma dessas cooperativas. Quando necessário, o grupo se propõe a indicar uma ONG ou uma instituição que fará o papel de orientar os produtores a desenvolver ainda mais seus processos e aumentar a produtividade. Essas instituições também atuarão no sentido de preparar os produtores para colocar esses itens diferenciados nas gôndolas, orientando, por exemplo, sobre o melhor tipo de embalagem e sobre as melhores alternativas de transporte até os centros de distribuição do grupo varejista.Bethlem destacou ainda que a negociação de preços será totalmente diferenciada da que se pratica com os grandes fornecedores. ?Será individualizada e bem delicada, porque ao mesmo tempo que não queremos que o produtor se sinta desvalorizado, temos de fazê-lo entender que o processo gera custos com impostos, transportes e comercialização?, destacou. CronogramaOs interessados em participar do projeto podem se credenciar a partir de 13 de janeiro no site www.grupopaodeacucar.com.br/carasdobrasil ou se pré-credenciar a partir de hoje pelo telefone 0800-109392. A definição dos primeiros parceiros se dará em fevereiro do próximo ano e a implantação das primeiras lojas piloto de cada bandeira, na segunda quinzena de março. ?É importante destacar que para participar do projeto não há pré-requisito algum. A única exigência é que o produto tenha manejo sustentável?, salientou Bethlem.

Agencia Estado,

17 de dezembro de 2002 | 15h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.