Papa alerta para novas demonstrações de racismo no mundo

Mesmo reconhecendo que tensões têm raízes econômicas, Bento XVI diz que o racismo não se justifica

EFE,

17 de agosto de 2008 | 16h42

O papa Bento XVI advertiu para as "novas demonstrações preocupantes" de racismo em muitos países, vinculadas freqüentemente a problemas sociais e econômicos, que, "no entanto, nunca podem justificar o desprezo e a discriminação racial".      Bento XVI pediu aos fiéis para que rezem para que "em todas as partes cresça o respeito às pessoas, junto à responsável consciência de que só na recíproca amparada de todos é possível construir um mundo marcado pela autêntica justiça e a paz verdadeiras".      Durante o Ângelus, rezado de sua residência de Castelgandolfo, o papa destacou a importância de que as comunidades cristãs ajudem a sociedade civil a "superar todas as possíveis tentações de racismo, de intolerância e de exclusão, e a organizar-se com opções que respeitem a dignidade dos seres humanos".      O papa lembrou que "uma das grandes conquistas da humanidade é, de fato, a superação do racismo".      "Mas, infelizmente, se registram em muitos países novas demonstrações preocupantes", afirmou.      Tais manifestações estão freqüentemente vinculadas, segundo Bento XV, "a problemas sociais e econômicos, que no entanto não podem justificar o desprezo e a discriminação racial". 

Tudo o que sabemos sobre:
racismopapabento xvi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.