Papa autoriza castigo maior para padres em concubinato

O arcebispo Mauro Piacenza, secretário da Congregação para o Clero, deu a informação à Rádio Vaticano

EFE,

05 de junho de 2009 | 17h42

Bento XVI concedeu maiores poderes à Congregação para o Clero para que possa castigar, de maneira mais severa, os sacerdotes que não mantiverem o voto de castidade e viverem em concubinato, ou que se casarem em ato civil sem ter recebido antes a dispensa para passar ao estado laico.

 

link Padre flagrado com mulher muda de religião para se casar

link Celibato é uma prática imperfeita da Igreja, diz Fernando Lugo

link CNBB: padres devem respeitar lei disciplinar do celibato

 

Assim informou o arcebispo Mauro Piacenza, secretário da Congregação para o Clero, à Rádio Vaticano, afirmando que se trata de uma direção para ajudar os bispos a enfrentar "situações particulares" do clero, que contempla inclusive a redução do sacerdote ao estado laico, como castigo.

 

"Infelizmente, é preciso reconhecer que muitas vezes se verificam situações de indisciplina por parte do clero, em que as tentativas de superá-las não dão resultado e se corre o risco de que a situação se prolongue excessivamente, com grave escândalo dos fiéis e dano ao bem comum", afirmou o prelado.

 

Piacenza afirmou que o papa concedeu a sua Congregação a faculdade de tratar os casos de abandono do estado clerical in poenam, ou seja, como castigo, dos clérigos que tenham se casado, embora apenas no civil, e que admoestados continuem "com a vida escandalosa e irregular".

Tudo o que sabemos sobre:
catolicismobento xvicelibato

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.